Diego Maradona: crítica de documentário

Asif Kapadia dirige o documentário produzido pela On The Corner Film em associação com Film 4, e transmitido pela HBO, Diego Maradona. Resultado de uma edição de mais de 500 horas de filmagens jamais vistas antes, o documentário de 130 minutos trata da vida e da carreira de Diego Armando Maradona, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, em especial sua fase de ascensão mundial como artilheiro do até então decadente Napoli nos anos de 1984 à 1991. A produção traz ainda fragmentos biográficos do jogador, ao mesmo tempo em que mostra o contraste entre sua origem humilde e o sucesso meteórico, o enfrentamento da tragédia midiática em torno do resultado da Copa Mundial de 1990 e do seu vício em substâncias ilícitas.

Diego Maradona

Ao conferir o documentário de Asif Kapadia, a audiência pode finalmente ter a chance de ver o outro lado da história do controvertido jogador de futebol massacrado pela mídia tendenciosa por conta de seu vício em substâncias proibidas. Odiado especialmente pelos brasileiros por conta de uma pueril rivalidade com Pelé, Maradona nada mais surge na tela como uma pessoa comum, de origem humilde, crescido na favela de Fiorito, em Lanús, e filho de pais extremamente pobres que se tornou da noite para o dia um dos maiores fenômenos da artilharia futebolística de todos os tempos.

Assim como vários jogadores de futebol da atualidade, o documentário mostra que Maradona revelou seu talento desde pequeno, iniciando sua carreira profissional em 1976 no Argentinos Juniors, para então se tornar jogador de destaque do Boca Juniors entre 1981 e 1982. Uma passagem fulminante pelo Barcelona, regada à muitas brigas internas com os executivos do time, fez com que o jogador acabasse eventualmente sendo vendido ao Napoli nos idos do ano de 1984, onde foi mundialmente apresentado no estádio San Paolo, em Nápoles. Mal sabiam os envolvidos que aquela jogada tornaria o decadente Napoli em sensação nacional ao lado dos renomados Milan, Juventus, Inter de Milão e Roma. E é nesse cenário que o documentário de Kapadia avança, mostrando o quanto Maradona transformou o decrépito Napoli em time reconhecido, ao mesmo tempo em que o estilo europeu nos gramados fez amadurecer suas técnicas e chegar ao auge de sua carreira.

Diego Maradona

Herói local, e capitão do time em substituição à Giuseppe Bruscolotti, Maradona levou o público ao delírio com as inúmeras vitórias conquistadas, dentre as quais, a de título da série A em 1989-1990. Tal conquista, no entanto, tornou-o refém de um contrato do qual pretendia se desvencilhar com fins de possivelmente retornar à Argentina depois da Copa Europa. Asif Kapadia explora então em seu documentário a força do crime organizado napolitano ao ajudar à transformar Maradona na alma de Nápoles por conta de suas fantásticas jogadas que permitiram o time local alcançar o auge, e fazer o resto da Itália pagar o preço por anos de insultos racistas.

Cercado das piores influências, à começar pelo próprio presidente do Napoli, Corrado Ferlaino, que no documentário se autodenomina como “o cárcere” de Maradona, o jogador começou à se ver no centro de uma agenda intensa e lotada onde era ídolo quase canonizado. O documentário traz à tona a notoriedade do consumo de cocaína por Maradona, fato esse abafado por manipulação da infame organização criminosa Camorra e pela própria instituição futebolística. Com a vitória da Argentina na Copa Mundial de 1986, Maradona se encontrava no melhor momento de sua vida. Contudo, tudo passou à desandar para o jogador na Copa Mundial de 1990, onde a Argentina disputou a semifinal com o time da casa em Nápoles, e Maradona dizia que os napolitanos que o haviam adotado jamais se sentiram verdadeiramente italianos. As coisas saíram do controle, e tudo ficou pior quando do craque marcou o pênalti que eliminou a Itália.

Mao de Deus

O inicio do pesadelo de Maradona teve então inicio. Humilhado por uma enfurecida plateia de italianos na final com a Alemanha, Maradona ainda virou alvo da Camorra, que tanto o explorou por ser adorado pelo público. Abandonado por todos à sua própria sorte, o jogador se tornou odiado por conta dos tabloides, em especial no que dizia respeito ao seu envolvimento com drogas. O documentário mostra ainda o episódio na partida contra a Inglaterra que o fez ganhar a alcunha “Mão de Deus” durante a Copa Mundial de 1986, bem como suas idas e vindas amorosas enquanto mantinha uma relação estável com a noiva e então esposa, Claudia Villafañe, bem como o escândalo envolvendo Diego Sinagra, o filho ilegítimo que ele finalmente reconheceu como seu, tal como mostrado na cena final.

Ao retratar a vida daquele que foi um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos de forma imparcial, mostrando não apenas sua exploração pelo sistema e as duras consequências que arcou ao não jogar o outro jogo das instituições, como também seu receio em revelar qualquer sinal de fraqueza, Asif Kapadia confere um retrato inédito do Maradona personagem, enquanto Diego continuava à ser uma pessoa humilde tentando manter sua vida longe dos holofotes. Diego Maradona é uma produção imperdível para todos.

Diego Maradona encontra-se disponível via HBO.

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios