American Gods: recapitulação primeira temporada

A primeira temporada de American Gods é uma das melhores produções para a televisão à nível de mistério e fantasia. Criada e desenvolvida por Bryan Fuller e Michael Green, a série retorna para uma segunda temporada tendo agora como chefes de produção Jesse Alexander e Neil Gaiman.

MV5BNTdmYjI4ZTctNzFkMy00NDY4LTgyOGMtMzE0Yzg3YzRlMjc3XkEyXkFqcGdeQXVyNjc5Mjg0NjU@._V1_SY1000_SX1500_AL_.jpg

Visualmente deleitável, a temporada de estreia gira em torno do personagem Shadow Moon (Ricky Whittle), um ex-condenado colocado em liberdade pouco depois do óbito da esposa, Laura (Emily Browning), morta num acidente junto com o melhor amigo do casal, Robbie Burton (Dane Cook), o que faz Shadow levantar suspeitas acerca da infidelidade da falecida. Contudo, sem tempo para lidar com a tragédia, Shadow se torna segurança de um enigmático vigarista com um olho só que atende pelo nome de Wednesday (Ian McShane), o qual ele conhece no voo de volta para casa. Os dois então embarcam numa viagem pelos Estados Unidos para visitar os atípicos conhecidos de Wednesday, o que na verdade se trata de um processo de recrutamento para um grande acontecimento em Wisconsin.

whitebuffalo.jpg

Paralelamente, é revelado que deuses e criaturas mitológicas estão entre nós, e que eles existem porque as pessoas acreditam neles. Segmentos sobre como os deuses antigos atravessaram fronteiras e chegaram aos Estados Unidos são apresentados ao inicio de cada episódio. Na estreia da temporada, por exemplo, é mostrada a chegada dos primeiros exploradores Vikings na América. Uma luta sangrenta acontece entre eles como forma de oferenda à Odin. No segundo episódio, no porão de um navio de escravos com destino à América em 1697, o deus Anansi (Orlando Jones) se manifesta, previne os escravos sobre o que os aguarda no Mundo Novo, incitando-os a destruírem a embarcação. Todos morrem, exceto Anansi, que chega em solo americano em forma de aranha. No sexto episódio, um grupo de mexicanos tenta atravessar ilegalmente a fronteira com os Estados Unidos. Cristãos fervorosos, eles rezam antes de atravessar o rio à nado. Durante a travessia, um dos mexicanos quase se afoga, ao que Jesus (Ernesto Reyes) aparece e o resgata. Contudo, um grupo de vigilantes do outro lado dizima o grupo por completo.

t-bilquis-starz-vf-1.jpg

Ao longo da temporada, duas sub-tramas envolvendo deuses antigos na América dos dias atuais ganham destaque: a da deusa Sheba (Yetilde Badaki), apresentada como uma prostituta que se mantém jovem e poderosa ao usar como presa vários homens e mulheres que se deitam com ela, e a do vendedor Salim (Omid Abtahi), que troca de lugar com um gênio (Mousa Kraish) que trabalha como taxista.

MV5BNjI3ZWQ4ODItZDUyOC00YzEwLTg3Y2QtZjBlY2NjMmYwZjdkXkEyXkFqcGdeQXVyNjAwNTYwNDg@._V1_SY1000_CR0017611000_AL_.jpg

No que diz respeito à narrativa principal envolvendo a jornada de Shadow ao lado de Wednesday, a trama ganha forma quando a missão de Wednesday é revelada como algo muito mais perigoso do que parece. Depois de capturado pelo deus da tecnologia (Bruce Langley) e quase enforcado pelos homens de preto no episodio de estreia, Shadow tem um encontro inusitado com a deusa da mídia (Gillian Anderson)—que ora se manifesta como Lucy Ricardo, de I Love Lucy, ora como David Bowie, ora como Marilyn Monroe—e tenta coloca-lo contra Wednesday. Sem respostas para os mistérios que cercam seu novo patrão, Shadow é ainda desafiado por Czernobog (Peter Stormare), deus eslavo da escuridão; conhece as irmãs Zorya, servas de Dazbog; e testemunha o assassinato de Vulcan (Corbin Bernsen), deus do fogo, pelo próprio Wednesday.

MV5BODMyMmYzOWQtNjU1YS00MGFiLWFiZTQtZjllMjAzYjJhMDFiXkEyXkFqcGdeQXVyNjc5Mjg0NjU@._V1_SY1000_SX1500_AL_.jpg

Atormentado por estranhos sonhos com a árvore do mundo, Shadow também precisa lidar com o retorno de Laura, a qual ressuscita depois que Shadow deixa em seu tumulo a moeda da sorte que conseguiu de Mad Sweeney (Pablo Schreiber), um Leprechaun à serviço de Wednesday no inicio da temporada, e o grande alívio cômico da série. Na tentativa de recuperar sua moeda, Sweeney decide agir por conta própria e une forças com Laura. Para ajuda-la, e também para reaver sua moeda da sorte, Sweeney vai em busca da deusa germânica da ressureição, Ostara (Kristin Chenoweth), a qual aparece nos instantes finais do último episódio da temporada. Ostara surge como personagem chave na ajuda para Wednesday logo depois de revelado seu verdadeiro intento, qual seja, de que o recrutamento dos vários deuses antigos e esquecidos que aparecem ao longo da série tem por fim uma grande e iminente guerra com os deuses modernos, estes liderados por Mr World (Crispin Glover).

MV5BNDdlMzdiZmItZGNmNS00ODYyLWJjMTUtNDlhMzg3YzQ0ODE5XkEyXkFqcGdeQXVyNjc5Mjg0NjU@._V1_SY1000_CR0017761000_AL_.jpg

O clímax da temporada acontece nos últimos instantes do episodio final, quando da convergência das narrativas envolvendo Shadow e Wednesday e Laura e Mad Sweeney na festa de Páscoa na casa de Ostara, e a posterior chegada dos novos deuses da tecnologia e da Mídia juntamente com o próprio Mr World e os homens de preto. Nesse cenário, é então revelado que Wednesday é na verdade o deus Odin, e Ostara cancela a primavera. Para a segunda instalação da série, fica em aberto como serao as repercussões do ato de Ostara, bem como o desenvolvimento da guerra entre os deuses antigos e os novos deuses, além da revelação da importância de Shadow e sua participação nesse grande confronto.

A primeira temporada de American Gods pode ser conferida via Amazon Prime e iTunes, e a segunda temporada estreia no dia 10 de março pelo canal Starz.

Confira aqui o trailer do que vem por ai:

Deixe um Comentário