Resumo do episódio #3.06 de True Detective: Hunters in the Dark

No sexto episódio da terceira temporada de True Detective, em 1980, a investigação do caso Purcell é dada por encerrada com a descoberta de evidências na casa de Woodard; em 1990, Hays e West interrogam Tom depois de uma misteriosa ligação supostamente de Julie e são contatados por Dan O’Brien, o qual teria informações importantes sobre a morte de Will e o desaparecimento de Julie; e, em 2015, Hays continua à juntar evidências do caso Purcell e troca informações com Roland, ao passo em que faz uma importante descoberta sobre Henry.

MV5BNWQxMDE2OWEtZjk5NS00MmQ3LTg4NjYtYmQ2YmNhNWUxNjVjXkEyXkFqcGdeQXVyMjIyMTc0ODQ@._V1_SX1500_CR0,0,1500,999_AL_

No ano de 1980, logo depois do confronto policial na casa de Brett Woodard (Michael Greyeyes), e da descoberta de evidências de que este teria assassinado Will (Phoenix Elkin) e Julie Purcell (Lena McCarthy), o caso é dado por encerrado por Gerald Kindt (Brett Cullen), à despeito das suspeitas de Wayne (Mahershala Ali) de que o catador de lixo não teria nada à ver com as mortes, e que as provas incriminadoras teriam sido plantadas em sua casa logo depois do massacre havido no episodio anterior. Paralelamente, Amélia (Carmen Ejogo) participa de uma reunião comunitária em que o caso é dado por encerrado, e nota a frieza com que Lucy (Mamie Gummer) trata Tom (Scoot McNairy), saindo da reunião logo seguida de uma jornalista que tenta obter declarações sobre o caso. Amélia as alcança no estacionamento, mas Lucy as despacha, retrucando que ninguém sabe de nada sobre como tudo aconteceu, dando a nítida impressão de que sabe exatamente o que aconteceu com os filhos, e que Woodard é apenas um laranja. Amélia fica intrigada, mas não aparece se ela compartilha tal informação com Wayne, com o qual efetivamente começa um relacionamento amoroso, e do qual tenta conseguir revelações sobre o caso e sobre sua experiência na guerra.

MV5BMDcwNTM0MjUtN2QzNi00MjE4LTg1ZjEtYzA3NzQxNmNhNzQyXkEyXkFqcGdeQXVyNDg4NjY5OTQ@._V1_SY1000_SX1500_AL_

Em 1990, com o reinicio das investigações do caso Purcell e a ligação telefônica supostamente de Julie, Kindt, agora procurador geral no Arkansas, acredita que Tom é o responsável pela morte de Will e pelo desaparecimento de Julie, ao que Wayne e Roland (Stephen Dorff) o interrogam, e eventualmente descobrem que ele seria homossexual, o que sugere que talvez ele não seja o pai dos irmãos Purcell. Nesse meio tempo, Amélia decide escrever uma continuação do livro sobre o caso por exigência de seu editor, e descobre o orfanato onde Julie teria ficado, e onde respondia como “Mary,” “Mary Julie,” “Mary July” e algumas vezes apenas como “Julie”, e dizia ter sido a rainha de um castelo cor-de-rosa. Paralelamente, os detetives Wayne e Roland interrogam Harris James (Scott Shepherd), o qual trabalhou na investigação de Woodard, e provavelmente esteve envolvido no forjamento de provas, tornando-se segurança particular de Hoyt pouco depois. Eles ainda são contatados por Dan O’Brien (Michael Graziadei), o qual faz insinuações de sua relação com Lucy, a qual teria algum envolvimento no desaparecimento de Julie, tendo recebido algum dinheiro em troca de seu silêncio, exigindo 7 mil dólares em dinheiro para que forneça nomes dos envolvidos. Um ensandecido Tom sai embriagado e com uma arma de fogo atrás de Dan, e o obriga à revelar o paradeiro de Julie, bem como revelar o nome do envolvido em seu desaparecimento. No lançamento de seu livro, Amélia é confrontada por um espectador, Junius (Steven Williams), um homem negro com catarata num dos olhos, suspeito indicado por Patty Faber (Candyce Hinkle) que teria comprado todas as suas bonecas de palha.

MV5BM2YxZjllMzYtYzBlNS00OGY4LWJkYmItZTJkMTdjZDkwYzVhXkEyXkFqcGdeQXVyMjIyMTc0ODQ@._V1_SX1500_CR0,0,1500,999_AL_

Em 2015, Wayne continua à ser entrevistado para o programa True Criminal, e descobre que o filho, Henry (Ray Fisher), estaria tendo um caso com Elisa (Sarah Gadon). Henry não parece nada orgulhoso de tal fato, e Wayne sugere que o filho guarde apenas para si a verdade, para fins de salvar seu casamento. Mais tarde, em sua casa, Wayne compartilha com Roland a revelação de que o buraco na parede entre os quartos de Will e Julie na casa dos Purcell era para troca de bilhetinhos entre os irmãos, algo que ele descobriu durante a segunda investigação em 1990 depois do interrogatório de Tom, embora não se saiba por qual motivo os dois precisassem manter esse pequeno segredo entre eles. Depois de um lapso de memoria, Wayne fica surpreso em ver Roland, e pergunta se ele pode verificar o veiculo estacionado do outro lado da rua. Roland informa nada ver. O episódio termina em 1990, com Tom invadindo a mansão de Hoyt logo depois de visitar Dan em seu quarto de hotel e provavelmente conseguir dele a informação do nome da pessoa por trás do desaparecimento de Julie. Ele é observado por câmeras escondidas, e vai direto à um quarto subterrâneo cujas paredes são todas pintadas de cor-de-rosa. Ali, ele olha fixamente para algo e diz “Julie?”, sem no entanto perceber Harris James se aproximando logo atrás dele.

Sem deixar claro se Dan morreu depois de seu violento confronto com Tom, o episódio traz a grande revelação de que Hoyt—ou alguém de sua organização protegido por Harris James—, estaria por trás do desaparecimento de Julie, e que Lucy não apenas sabia de tudo, mas recebia dinheiro para manter-se calada, e que ao pedir mais acabou sendo morta. Embora as grandes questões da temporada sejam “quem,” “por que” e “como,” tudo indica que a narrativa principal parece estar diretamente conectada ao círculo de pedofilia do qual faz parte os ricos e poderosos envolvidos nas duas primeiras temporadas.

True Detective é uma série original do canal HBO e pode ser conferida via TV à cabo ou on streaming.

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios