Cinema Críticas Filmes

Corrida do Oscar 2018: Baby Driver

Escrito e dirigido por Edgar Wright, que tem em seu currículo filmes como Scott Pilgrim vs. the World e The World’s End, Baby Driver é uma das melhores surpresas de 2017 no gênero crime de ação. A trama gira em torno de um jovem e exímio motorista que é forçado à trabalhar para um chefe de quadrilha e que se vê no meio de um plano que tem tudo para dar errado.

1

A cena inicial do filme mostra Baby (Ansel Elgort), um rapaz de poucas palavras que é movido às músicas que tocam em seu IPad, como o motorista de fuga em um grande assalto perpetrado pela quadrilha da qual também fazem parte Griff (Jon Bernthal), Buddy (Jon Hamm) e Darling (Eiza González). A cena de perseguição policial é digna de filmes como Bullitt, Ronin, Velozes e Furiosos, Um Golpe à Italiana e A Identidade Bourne. Extremamente habilidoso no volante, Baby se vale de seus talentos para o mundo do crime ao passo em que é forçado à trabalhar para o chefe da quadrilha, Doc (Kevin Spacey), o homem que meticulosamente orquestra cada assalto realizado pelo grupo.

2

Depois de um último assalto que o possibilitará quitar sua divida com Doc, vendo-se assim finalmente livre da criminalidade, Baby acaba mais uma vez coagido à participar de um grande roubo. Nesse cenário, o universo de Baby é mostrado como o de um jovem não apenas entusiasta pela música e que secretamente grava as reuniões da quadrilha para eventualmente mixa-las, como também de alguém bastante traumatizado pela morte violenta da mãe, e que agora toma conta de um velho amigo cego, Joseph (CJ Jones), ao passo em que tenta ter uma vida relativamente normal, principalmente quando conhece e se apaixona pela garçonete Deborah (Lily James).

3

Tudo muda para Baby quando o violento e agressivo Bats (Jamie Foxx) se torna o novo membro do grupo para o próximo assalto. Extremamente instável, Bats convence Buddy e Darling à não seguirem os planos de Doc, comprometendo assim toda a operação. Baby então se vê em constante risco nesse novo trabalho, enquanto as pessoas que ele mais ama também se tornam alvo de grande perigo, o que vai lhe exigir não apenas mais de sua destreza no volante ao som de uma boa trilha sonora, como muita inteligência e audácia para reverter a situação em que se encontra.

Embora Kevin Spacey e Jamie Foxx roubem a cena, Ansel Elgort, que já havia impressionado em A Culpa é das Estrelas, surpreende ainda mais como um dos representantes da nova geração de grandes talentos. Ao lado das espetaculares cenas de perseguição, a trilha sonora do filme também não deixa nada à desejar, incluindo hits como “Baby Driver”, de Simon & Garfunkel, “Brighton Rock”, de Queen, “Never, Never Gonna Give Ya Up”, de Barry White, “Intermission”, de Blur, “Easy”, de The Commodores, “Let’s Go Away For Awhile”, de The Beach Boys, entre outros.

Baby Driver concorre ao Oscar 2018 em três categorias técnicas, incluindo a de melhor edição de filme, melhor edição de som e melhor mixagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s