Corrida do Oscar 2018: Corra!

Get Out, traduzido para Corra!, é escrito e dirigido por Jordan Peele, que faz aqui sua estreia na direção e revela, em seus comentários no DVD, que buscou inspiração para o filme e para o título na produção stand-up de Eddie Murphy, Eddie Murphy: Delirious. Peele cita o trecho em que o astro da comédia faz piadas com filmes de horror, como Poltergeist e The Amityville Horror, e pergunta à plateia por que os brancos não fogem assim que descobrem que a casa onde moram está infestada de fantasmas. Murphy explica que se ele fosse visitar uma casa e escutasse um sussurro de fantasma que fosse, diria na mesma hora à sua esposa: “Get out!”

1

Mas Corra! não é um filme sobre fantasmas. Trata-se de um mistério de horror que prende a atenção mesmo quando se torna previsível demais à partir de um determinado momento, ao que o telespectador é surpreendido com uma nova (e bizarra) descoberta poucos minutos antes do final. Na trama, Chris Washington (Daniel Kaluuya) é um talentoso fotógrafo afrodescendente. Ele namora a caucasiana Rose Armitage (Allison Williams), e o filme se passa no final de semana no qual Chris, depois de apenas cinco meses de namoro com Rose, vai conhecer seus pais em sua casa no Lago Pontaco. O detalhe, é que os pais de Rose não sabem que ele é negro. Para Chris, o que está por vir é algo à la Adivinhe Quem Vem para Jantar, exceto que tudo será muito pior do que ele jamais podia imaginar.

2

A viagem é relativamente tranquila, e embora Rose tente fazê-lo se sentir bem o tempo todo, Chris parece à vontade com o que está por vir. No caminho, Rod (LilRel Howery), melhor amigo de Chris faz uma ligação. Depois de algumas gracinhas com o fato de Rose ter escolhido o namorado negro errado, ele diz ao amigo que é a maior furada visitar os pais brancos da namorada. Aliás, Rod é a representação da audiência no filme ao já deduzir quase toda a trama com as poucas pistas que tem ao dizer ao amigo para fugir o quanto antes num determinado momento em que os dois se falam novamente. E se o apelo do amigo de nada adianta, ao menos o atropelamento de um cervo que corre em frente ao carro deveria, principalmente quando um policial aparece e embora Rose seja a condutora, ele também pede para verificar a identidade de Chris.

3

Ao chegar à residência dos Armitage, Chris é supreendentemente bem recebido pelos pais de Rose, Missy (Catherine Keener) e Dean (Bradley Whitford). Eles fazem questão de deixa-lo à vontade o tempo todo, e quando Chris percebe dois serviçais negros na casa, Georgina (Betty Gabriel) e Walter (Marcus Henderson), Dean explica que eles estão ali como favor aos seus pais, não sendo exatamente o que parece, ou seja, brancos ricos com empregados negros. Efetivamente, nada é o que parece em Corra! À começar, Chris percebe o estranho comportamento de Georgina, seus sorrisos forçados e seu olhar perdido. E a tensão familiar começa mesmo com a chegada do irmão de Rose, Jeremy (Caleb Landry Jones), o qual, depois de um jantar, estranha e sinistramente provoca Chris para testar sua força numa luta. Mais tarde, numa rápida saída noturna para fumar escondido, já que a família detesta cigarros, ele é surpreendido por Walter correndo como um louco pelo gramado. É apenas o começo do que está por vir.

4

Quando Chris volta para dentro da casa, ele esbarra em Missy. Ela o chama para conversar, e ele hesita. Missy, que já havia anunciado ser psicoterapeuta, tendo realizado várias bem sucedidas sessões de hipnose para fazer seus clientes deixarem de fumar, começa então o que parece ser uma sessão com o próprio Chris, o qual já havia dito antes não querer se submeter ao tratamento. Ela inicialmente o faz lembrar do dia em que sua mãe morreu, quando ele tinha apenas 11 anos. A cena é angustiante, e o personagem, paralisado no sofá, cai aos prantos para depois mergulhar no chamado “Sunken Place”, onde sua mente está perdida, longe do corpo.

5

Antes que pareça que Chris foi submetido à uma lavagem cerebral tal como supostamente aconteceu com Georgina e Walter, ele acorda bem no dia seguinte, e já não quer mais saber de fumar. Nisso, Rose anuncia que vai acontecer um evento na casa com a chegada de vários amigos e familiares. Chris se vê cada vez mais cercado por brancos e seus comentários repletos de cinismo. Num dado momento, ele acha que sua perspectiva foi abalada por conta da hipnose, e tenta ignorar o fato de que tudo está estranho demais. Quando ele conhece Logan (Lakeith Stanfield), outro rapaz negro na festa que ele tem a certeza de conhecer de outro lugar, e cujo comportamento o deixa muito perturbado, é que os mistérios envolvendo os Armitage começam à finalmente ser desvendados.

Com uma trama que faz referência à filmes como Sob o Domínio do Mal, A Chave Mestra e O Cérebro Que Não Queria Morrer, Corra! é um filme que surpreende por sua boa execução em se tratando da estreia do diretor Jordan Peele. Contudo, a narrativa, que começa de forma estimulante até a metade do filme, perde completamente seu mojo quando tudo parece óbvio demais e a audiência já é capaz de matar boa parte da charada do que se passa na casa dos Armitage valendo-se de apenas duas pistas. Ainda que a trama tenha outras pequenas (porém, bizarras) surpresas ao final, Corra! está bem longe de ser um filme merecedor de algum prêmio, podendo apenas ser classificado como mera garantia de entretenimento.

Corra! concorre ao Oscar 2018 em quatro categorias, incluindo a de melhor ator principal para Daniel Kaluuya, melhor roteiro original, melhor direção para Jordan Peele, bem como de melhor filme.

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios