As 13 Melhores Séries de TV Inspiradas em Livros

Não é de hoje que grandes sucessos literários são adaptados para o cinema e para TV. A lista à seguir cita apenas alguns exemplos mais recentes de séries de TV bem sucedidas adaptadas ou inspiradas em livros.

Game of Thrones

1. Game of Thrones

Inspirada na saga literária de George R.R. Martin, As Crônicas do Gelo e do Fogo, Game of Thrones é uma das séries mais bem sucedidas da atualidade. Bem fiel aos livros até a quarta temporada, a série passou à conduzir a trama com muito mais liberdade na adaptação de certos eventos à partir do quinto ano, o que deixou muitos fãs não muito satisfeitos. Contudo, à despeito das alterações substanciais cada vez maiores à partir do sexto ano, a produção da HBO continua sendo um dos maiores sucessos de audiência e de downloads ilegais.

House of Cards

2. House of Cards

Adaptação da trilogia de Michael Dobbs iniciada com House of Cards, seguido por To Play the King e The Final Cut, a versão estadunidense é basicamente a mesma da britânica, exceto por algumas pequenas e suntuosas diferenças. Produzida por David Fincher, a série é estrelada por Kevin Spacey e Robin Wright. Espirituosa, cerebral e sombria, é uma das melhores séries do momento, mesmo que já tenha se distanciado de sua versão original, ampliando ainda mais o universo de maquinações do ardiloso casal de protagonistas em busca do poder.

Outlander

3. Outlander

Inspirada na saga Outlander da escritora americana Diana Gabaldon, e composta até agora por oito livros, a série conta com duas temporadas completas que narram os eventos dos dois primeiros livros: A Viajante do Tempo e A Libélula no Âmbar. Com uma terceira temporada em andamento inspirada no terceiro romance, O Resgate no Mar, a série vem gradativamente conquistando mais fãs da fantástica história de amor entre uma mulher do século XX que viaja no tempo e se apaixona por um guerreiro highlander do século XVIII.

Handmaid

4. The Handmaid’s Tale

Adaptado do romance de Margaret Atwood, The Handmaid’s Tale, no Brasil conhecido como O Conto de uma Aia, conta a terrível história de June Osborne (Elisabeth Moss) num futuro distópico, onde um colapso de infertilidade faz emergir o governo totalitarista religioso de Gilead, antigos Estados Unidos, que aplica uma nova e severa lei segundo a qual as mulheres são brutalmente subjugadas, impedidas assim de trabalhar, de terem propriedades, de controlar o dinheiro e até mesmo de lerem, enquanto as poucas mulheres férteis devem ser constritas na posição de “handmaids”, ou seja, servas destinadas à terem filhos de seus mestres patriarcais para que sejam criados por suas esposas inférteis.

Sherlock

5. Sherlock

Adaptação para os dias atuais do icônico personagem de Sir Arthur Connan Doyle, Sherlock, criada e desenvolvida para a televisão por Steven Moffat e Mark Gatiss é um grande sucesso da televisão britânica e tem a dobradinha entre os astros Benedict Cumberbatch e Martin Freeman como um dos maiores elementos de sua bem sucedida trajetória. O leitor mais perspicaz de Sherlock Holmes vai perceber que há referências de vários contos de Doyle na narrativa serial.

TWD

6. The Walking Dead

A série adapta a saga em quadrinhos homônima criada por Robert KirkmanTony MooreCharlie Adlard. Criada e desenvolvida para a televisão por Frank Darabont, a série conta a história de um grupo de sobreviventes de um apocalipse zumbi liderados pelo personagem Rick Grimes. Embora tenha se distanciado da narrativa original ao longo da quarta temporada, a série passou novamente à convergir em relação aos quadrinhos em meados da sexta e sétima temporadas. Com o afastamento de Darabont e, mais recentemente, de Kirkman na briga por lucros de produção, a série tem um futuro cada vez mais incerto, mas nada que atrapalhe os planos da AMC para esta que é atualmente considerada seu carro-chefe como a mais bem sucedida série transmitida pela emissora.

Orange

7. Orange is The New Black

Adaptada do romance autobiográfico de Piper Kerman, Orange Is The New Black: My Year in a Women’s Prison, e desenvolvida para a televisão por Jenji Kohan, a série conta a história de Piper Chapman (Taylor Schilling), condenada à 13 meses de cárcere sob o regime fechado no sistema correcional federal de segurança mínima para mulheres em Danbury. Ali, ela precisa aprender a conviver com detentas de todas as idades e condições sociais, ao passo em que reflete acerca de seus atos, de sua própria existência, e deixa de lado todos os seus planos para o futuro fora das grades e se torna uma pessoa completamente diferente do que era antes.

FNL

8. Friday Night Lights

Inspirada no livro de não-ficção, Friday Night Lights: A Town, a Team, and a Dream, de H.G. “Buzz” Bissinger, o qual detalha os acontecimentos da temporada de 1988 dos Permian Panthers, um time de futebol americano ginasial em Odessa, Texas, a série é televisão na sua melhor e mais bela e pura forma. Além de um elenco excepcional, a produção se passa numa fictícia cidadezinha no interior do Texas, onde pobreza, misoginia, segregação e conflitos são fatores distintivos que permeiam a vida de seus moradores, mote para tramas simples, porém repletas de sensibilidade, sendo o futebol elemento unificador e os jogadores do ginásio Dillon verdadeiras celebridades locais.

American Gods

9. American Gods

Adaptação do ousado e impetuoso American Gods do autor britânico Neil Gaiman, a série, desenvolvida para a televisão por Bryan Fuller e Michael Green e transmitida pelo canal Starz, gira em torno do misterioso e taciturno Shadow Moon (Ricky Whittle) e do enigmático vigarista que atende apenas pelo nome de Wednesday (Ian McShane). Juntos, eles atravessam o país para encontrar seres e criaturas míticas como forma de recruta-los para uma iminente guerra. A série se distancia um pouco do livro ao conferir mais importância à esposa de Shadow Moon em contrapartida ao livro, o que faz a história perder muito do dinamismo. Mesmo assim, é um trabalho impecável de adaptação.

Dexter

10. Dexter

Inspirada na série de livros de Jeff Lindsay iniciada com Dexter: A Mão Esquerda de Deus, a versão televisiva é uma das melhores produções da TV à cabo. Com três primeiras temporadas simplesmente impecáveis, e bastante fiéis à narrativa de Lindsay, a série passou à perder seu mojo ao longo do quarto ano, quando o assassino serial Dexter Morgan, que segue um código de conduta e moral para exterminar bandidos, tornando-se uma espécie de anti-herói, acaba mergulhando em dilemas que cada vez mais divergem de sua natureza sociopata. Com um final de série completamente diferente da saga literária, é preferível ficar com a versão de Lindsay e dar uma boa espiadela na série apenas para conferir o talento de Michael C. Hall.

Dragao Vermelho

11. Hannibal

Adaptação da série de livros de autoria de Thomas Harris, Hannibal conta a trajetória do seu personagem mais famoso: o psiquiatra Hannibal Lecter, que nas horas vagas é um astuto assassino psicopata e canibal. Criada e desenvolvida por Bryan Fuller, a série é um prelúdio ao primeiro livro no qual o personagem aparece nas linhas de Harris, Dragão Vermelho, e traz Mads Mikkelsen como o pérfido Dr. Lecter e Hugh Dancy como seu nêmeses, o agente especial do FBI, Will Graham. Definitivamente, uma série visceral, tal como as obras de Harris. Vale lembrar, Hannibal Lecter também aparece em dois outros livros de Thomas Harris: O Silêncio dos Inocentes e Hannibal.

Desventuras

12. Desventuras em Série

Adaptação da série homônima de livros infanto-juvenis de autoria do escritor Daniel Handler, o qual assina as obras sob o pseudônimo de Lemony Snicket, a série é criada e desenvolvida por Barry Sonnelfeld. Com a previsão de um total de 28 episódios que devem abarcar a narrativa dos treze livros, a produção é estrelada por Neil Patrick Harris, Patrick Warburton, Malina Weissman, Louis Hynes, K. Todd Freeman e Presley Smith, e pode muito bem ser considerada como uma obra-prima da nova “era de ouro da televisão” em que vivemos no que se refere ao quesito visual e narrativo e que pode ser conferida por toda a família.

Sex and the City

13. Sex and the City

Inspirada no romance de Candace Bushnell e criada e desenvolvida para a televisão por Darren Star e Michael Patrick King, a série foi uma das comédias mais bem sucedidas da televisão. Muito bem escrita, não foi à toa que ganhou 8 Globos de Ouro, 37 outros grandes prêmios para a televisão, além de receber 128 nomeações. As peripécias sexuais e amorosas vividas pelas personagens principais, quatro mulheres solteiras beirando os 30-40 anos de idade em Nova York, são não apenas revigorantes, hilárias, e por vezes absurdas, como verdadeiras. E é este o composto da fórmula secreta para tamanho sucesso.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s