Ícone do dia : Jerry Lewis

1

Jerry Lewis, nascido Jerome Joseph Levitch, também conhecido como “O Rei da Comédia” e, na Itália, como “Picchiatello” (“louco”), foi um ator, comediante, cantor, produtor, roteirista e diretor americano. Notório por seus filmes de humor, ele formou com o ator Dean Martin a dupla “Martin e Lewis”, a qual se apresentava em clubes de comédia e fazia dobradinhas em diversas produções da Paramount Pictures. Apresentador nas transmissões Teleton de arrecadação de fundos para a caridade e membro da Associação de Distrofia Muscular, Jerry Lewis também foi ganhador de diversos prêmios e tem duas estrelas na calçada da fama.

Nascido em 16 de março de 1926, Jerry Lewis, filho de um ator de teatro e de uma pianista num programa de rádio, começou à atuar com a idade de 5 anos. Aos 15 anos, ele gravou um disco em que imitava de forma exagerada as músicas de um fonógrafo, e largou a escola. Até então, ele usava o nome de Joey Lewis, ao que passou a se chamar Jerry Lewis para evitar confusão com o comediante Joe E. Lewis. Desde adolescente, ele pregava peças nos amigos, familiares e vizinhos, e foi rejeitado pelas forças armadas para combater na Segunda Guerra por sofrer de sopro cardíaco.

1953: American comic team Dean Martin (L) and Jerry Lewis smiling, in a promotional portrait for the television show, 'The Colgate Comedy Hour,' of which they were frequent hosts.
Jerry Lewis e Dean Martin

Os holofotes se voltaram para Lewis à partir de sua parceria com Dean Martin, a qual teve inicio em 1946, e durou até 1956. Martin fazia o galã sério em contrapartida ao louco atrapalhado interpretado por Jerry nas comédias em que atuavam. Das apresentações em clubes de comédia, os dois passaram a comandar o “The Martin and Lewis Show” de 1949 à 1953, um programa de rádio transmitido pela NBC. Eles então começaram a aparecer nas primeiras transmissões ao vivo da televisão, debutando no “Toast of the Town” da CBS (que eventualmente se tornou “The Ed Sullivan Show”).

3
Cena do filme “O Meninão” (1955)

Os primeiros filmes da dupla foram Amiga da Onça (1949) e Minha Amiga Maluca (1950). Na mesma época, os dois foram apresentadores do programa de TV The Colgate Comedy Hour (1950). Diz-se, que nessa época Lewis teria encorajado um ainda bastante jovem Christopher Walken à seguir a carreira de ator. Juntos, Martin e Lewis atuaram em cerca de dezesseis filmes, todos produzidos por Hal B. Wallis, dentre os quais: O Palhaço do Batalhão (1950), O Filhinho do Papai (1951), O Biruta e o Folgado (1952), O Rei do Circo (1954), O Meninão (1955) e O Rei do Laço (1956). A dobradinha terminou com Ou Vai Ou Racha (1956).

Devido à popularidade da dupla, a DC Comics publicou o best-selling The Adventures of Dean Martin and Jerry Lewis, uma série em quadrinhos publicada de 1952 à 1957 e que contava uma série de aventuras com os dois. Diz-se que a parceria teria terminado na medida em que os papéis de Martin foram perdendo importância nos filmes em contrapartida aos de Lewis. Depois, cada um seguiu sua carreira de sucesso solo e nenhum deles jamais comentou a separação ou considerou uma reunião. Eles ocasionalmente apareceram juntos até 1961, mas depois disso somente foram vistos em 1976 numa reunião surpresa organizada por Frank Sinatra para o Teleton.

Amigo pessoal do casal Tony Curtis e Janet Leigh, Lewis foi eventualmente convidado à estrelar em Quanto Mais Quente Melhor (1959), dirigido por Billy Wilder. O ator acabou recusando, e o papel foi para Jack Lemmon, que recebeu uma indicação ao Oscar por sua performance. Diz-se que Lemmon teria enviado chocolates para Lewis por vários anos como prova de gratidão por ele ter recusado o papel.

4
Cena do filme “Bancando a ama-seca” (1958)

A carreira solo de Jerry Lewis começou com a música. Primeiro, com uma performance nos palcos de “Rock-A-Bye Baby”, e depois com o álbum “Jerry Lewis Just Sings”, que ficou na lista dos 20 melhores da Billboard. Paralelamente, ele continuou sua carreira de ator como contratado da Paramount, e estrelou vários filmes, como O Delinquente Delicado (1957). Com o director Frank Tashlin, Lewis atuou em cinco outros filmes, dos quais se destacam: O Bamba do Regimento (1957), Bancando a Ama-Seca (1958) e O Rei dos Mágicos (1958).

Enquanto isso, a DC Comics publicou uma série em quadrinhos chamada The Adventures of Jerry Lewis, de 1957 à 1971, e, em 1959, a Paramount Pictures firmou contrato com a Jerry Lewis Productions para um pagamento de $10 milhões de dólares, acrescidos de 60% dos lucros para 14 filmes num período de sete anos, dos quais fazem parte O Cinderelo (1960), filme no qual Lewis sofreu um leve ataque cardíaco após correr 66 degraus de escada em apenas 8 segundos. 

5
Cena do filme “O Professor Aloprado” (1963)

Em 1960, Lewis começou a dirigir filmes, estreando com O Mensageiro Trapalhão (1960). Depois, veio O terror das mulheres (1961), Mocinho Encrenqueiro (1961) e O Professor Aloprado (1963), um de seus maiores sucessos. Seu último filme para a Paramount foi Boeing Boeing (1965). Depois, ele partiu para a Columbia Pictures, onde estrelou em Três em um Sofá (1966), e depois para a 20th Century Fox, onde atuou em Um Biruta em Órbita (1966). Seus outros filmes foram O Fofoqueiro (1967) e Um Golpe das Arábias (1968).

Por vários anos Lewis lecionou cursos de diretor de cinema na Universidade do Sul da Califórnia em Los Angeles, onde foram alunos George Lucas e Steven Spielberg. Amigo pessoal de Sammy Davis Jr., Lewis dirigiu e fez sua primeira dublagem em Uma Dupla em Sinuca (1970), filme protagonizado por Davis. No mesmo ano, ele estrelou no controverso The Day the Clown Cried (1972), um drama situado num campo de concentração nazista que jamais foi lançado por ser considerado pelo próprio Lewis um trabalho embaraçoso do qual se envergonhava.

THE KING OF COMEDY, Robert De Niro, Jerry Lewis, 1983. TM and ©Copyright Twentieth Century Fox Film
Jerry Lewis e Robert De Niro em “O Rei da Comédia” (1983)

Depois de um período de ostracismo de mais de 11 anos, Lewis voltou à atuar e dirigir em Um Trapalhão Mandando Brasa (1981) e estrelou na aclamada produção de Martin Scorsese, O Rei da Comédia (1983), no qual faz um apresentador de TV que se torna vitima de um fã obsessivo interpretado por Robert De Niro. Após as filmagens de O Rei da Comédia, Lewis sofreu um massivo ataque cardíaco.

Em 1983, ele se divorciou da mulher, Patti Lewis, com quem foi casado por quase 40 anos e com a qual teve seis filhos, e se casou com SanDee Pitnick. Nesse meio tempo, na televisão, Lewis apareceu em diversas produções, como O Homem da Máfia e Mad About You. Um de seus últimos filmes é Um Sonho Americano (1994), onde atua ao lado de Johnny Depp.

Em 20 de agosto de 2017, Jerry Lewis, que por vários anos sofreu diversos problemas de saúde, morreu em virtude de uma cardiomiopatia isquêmica, deixando como legado inúmeros e deleitáveis trabalhos, bem como o título de “O Rei da Comédia”.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s