Outlander : review primeira e segunda temporadas

rehost-2016-9-14-05889d52-3c3d-4831-9c04-f322f5d6a17d

Outlander é uma série britânico-estadunidense desenvolvida para a televisão por Ronald D. Moore e coproduzida pela Sony Pictures Television e pela Left Bank Pictures para o canal Starz.

Inspirada na série de livros de autoria da escritora americana Diana Gabaldon intitulada Outlander Series, a produção estreou em agosto de 2014 e conta com duas temporadas concluídas e compostas por 16 e 13 episódios, bem como duas novas temporadas já oficialmente confirmadas.

A série narra diversos eventos históricos e gira em torno de uma corajosa viajante do tempo e um valoroso guerreiro highlander. É basicamente uma versão anabolizada do extinto Voyagers! acrescida do charme e da pontualidade de superproduções como Game of ThronesThe Tudors e The Crown.

Enquanto a primeira temporada é inspirada no primeiro livro da série, intitulado Outlander, o segundo arco tem por foco os eventos havidos em sua continuação, Dragonfly in Amber, ao passo em que a terceira e a quarta temporada deverão adaptar as histórias respectivamente contadas nos livros 3 e 4, Voyager e Drums of Autumn. Com uma previsão de dez livros ao total, sendo os dois últimos ainda inacabados, possivelmente teremos ainda mais seis anos de série se acaso a produção continuar a adaptar um livro por temporada.

1Excepcionalmente bem produzida, Outlander tem por foco principal a incrível jornada da personagem Claire Randall (Caitriona Balfe), que misteriosamente volta duzentos anos no tempo quando de uma viagem de lua-de-mel com seu marido, Frank (Tobias Menzies), próximo às esplendorosas highlands, na Escócia. Enquanto procura entender o que lhe aconteceu e tenta desesperadamente voltar ao seu tempo, Claire descobre estar agora no ano de 1743 e em meio aos primeiros momentos da grande revolta entre os escoceses highlanders que lutam contra os casacas vermelhas ingleses por sua liberdade. Ela é a “estrangeira” propriamente dita que dá nome ao título da saga literária.

A primeira parte do episódio piloto confere à audiência uma introdução à rotina do casal Randall no ano de 1945. Contada em primeira pessoa sob a perspectiva de Claire, a história começa narrando os esforços dela e de Frank em se reconectarem depois de dois anos separados pela guerra. Claire, que é enfermeira e trabalhou em campo de batalha, e Frank, ex-oficial do exército britânico, decidem comemorar a reunião conjugal com o fim da Segunda Grande Guerra com uma segunda viagem de lua-de-mel para a Escócia, berço dos antepassados de nome Randall.

MV5BMjI2OTU3OTc4MF5BMl5BanBnXkFtZTgwODQ2NDc1MjE@._V1_SY1000_SX1500_AL_Quando Claire decide voltar para as ruinas de Craigh na Dun, onde noites antes testemunhou com Frank um ritual druida, sua grande aventura começa. Ao tocar a pedra central do circulo das ruinas, ela acorda no século XVIII. Em meio a um confronto entre rebeldes escoceses e soldados ingleses, Claire é surpreendida pelo antepassado de Frank, o General Jonathan “Black Jack” Randall (Tobias Menzies), cujas intenções para com ela não são nada boas. É nesse momento em que ela é resgatada por escoceses galeses, que a levam como prisioneira.

Na comitiva liderada por Dougal MacKenzie (Graham McTavish), Claire tenta inúmeras vezes retornar à Inverness no intuito de voltar aos braços de seu marido no ano de 1945. Mas ao curar um grave ferimento em um dos guerreiros highlanders, Jamie Fraser (Sam Heughan), o grupo decide leva-la para o Clã MacKenzie acreditando tratar-se ela de uma espiã inglesa. Levada ao Castelo Leoch, Claire ganha a confiança de alguns, mas continua sob vigilância constante ao mesmo tempo em que acaba se tornando a curandeira local. Cada vez mais distante das chances de voltar para casa, Claire também testemunha a arrecadação de fundos por parte de vários clãs para o exército jacobita, que, por sua vez, almeja a devolução do trono britânico à dinastia Stuart.

2Nesse cenário, Claire se aproxima cada vez mais de Jamie, e um reencontro com o sádico General Randall faz com que Dougal os obrigue a se casarem para apaziguar os ânimos entre os escoceses galeses e a armada real. Mesmo com o casamento consumado, e Claire cada vez mais envolvida amorosamente com Jamie, ela continua dividida e decidida a voltar para o seu tempo, e para Frank.

Embora o grande arroubo da primeira temporada seja efetivamente o desenvolvimento da relação entre Claire e Jamie – o que muitas vezes remonta aos romances fantásticos de banca de revista com toda a sexualidade a que fazem jus aliada à aventuras intensas –, outro ponto alto nesse primeiro arco é o crescimento do exército jacobita com os fundos arrecadados por vários clãs. Sabendo o final dessa grande guerra com o exército inglês, o episódio The Devil’s Mark é não apenas tenso como decisivo para Claire.

A despeito dos momentos de leveza, como no episódio Lallybrock, em que Claire tem um vislumbre de uma vida tranquila com Jamie em sua terra natal, os dois últimos episódios da temporada, intitulados Wentworth Prison e To Ransom a Man’s Soul, são decisivamente os mais sombrios.

5Mais leve, e ao mesmo tempo mais consistente, sem deixar de lado no entanto algumas incoerências históricas e a constante presença do Deus Ex Machina, a segunda temporada começa com uma nova jornada para Claire. Ela e Jaime partem para a França no intuito de mudar o curso da história. Com a ajuda de um primo distante, Jamie consegue se infiltrar entre os jacobitas afim de descobrir todos os seus planos e sabotar a revolta escocesa que busca a ascensão do Príncipe Charles Stuart (Andrew Gower) ao trono britânico, impedindo assim o massacre dos escoceses e a destruição da cultura highlander.

Depois de muitos percalços, Jaime e Claire retornam para a Escócia, onde decidem agora – no que talvez seja a maior incoerência da temporada em contrapartida à sua primeira metade – investir na vitória sobre os ingleses com as informações do futuro que lhe podem ser favoráveis. A guerra começa, e enquanto Jamie cresce como líder estrategista em campo de batalha, Claire assume a enfermaria para atender os feridos.

4Nos dois últimos episódios da segunda temporada, Claire e Jaime correm contra o tempo para que a batalha de Culloden Moor, onde os escoceses highlanders foram dizimados pelos ingleses, não aconteça. Mas é a season finaleDragonfly in Amber, que faz valer as duas temporadas inteiras da série com um espetacular desfecho para essa primeira fase da aventura de Claire, envolvendo ainda uma terceira timeline, bem como dois novos personagens, Brianna (Sophie Skelton) e Roger Wakefield (Richard Rankin).

Esplendidamente produzido, o episódio deixa ainda em aberto o encerramento da revolta dos highlanders contra o exército real para a terceira temporada, a despeito da confirmação da derrota escocesa. O desfecho para Jaime e Claire faz a audiência esquecer completamente as inconformidades históricas e as incongruências novelescas ao longo das duas temporadas.

3Pitoresca pelo fator histórico com uma boa dose de ficção-científica, além, obviamente, de muito romance e sangue, Outlander passa despercebida justamente por se aproximar demais dos devaneios novelescos. Por outro lado, a narrativa é também repleta de tensão e dinamismo na dosagem certa, o que faz com que o telespectador fique absorto até o fim. Ademais, não muito conhecido do público, o elenco é soberbo e desempenha magnificamente bem, com destaques, obviamente, para Caitriona BalfeTobias Menzies e até Sam Heughan, o qual evolui de mero colírio para os olhos fazendo o típico herói destemperado de romances açucarados na primeira temporada para um personagem com muito mais substância e presença no segundo arco.

A despeito dos altos e baixos com alguns episódios que deixam um pouco a desejar, sem mencionar as situações por vezes absurdas – e mesmo repetitivas – a que os personagens se envolvem por conta da presença da “outlander” e sua constante intromissão em eventos históricos, ao final da segunda temporada fica a sensação de que a série vale a pena e que narrativa cumpre bem o seu papel, pois se você chegou até o final da segunda temporada e sobreviveu à desconfortável mudança de cenário das highlands escocesas para a corte francesa, certamente não vai querer deixar de ver como a história de Claire e Jamie realmente termina. Com mais oito livros programados, é certo que o casal Fraser tem muito ainda pelo que passar.

A terceira temporada de Outlander tem previsão de estreia setembro de 2017.

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios