Bloodline : review segunda temporada

Bloodline-Season-2-Poster

Na primeira temporada, Bloodline revelou os terríveis segredos que por muitos anos assombraram a família Rayburn. Desta vez, o segundo ano da série produzida pela Netflix mostra o pior lado de cada um dos Rayburn.

A trama do segundo arco começa exatamente à partir do último acontecimento havido ao final da temporada anterior. Com a morte de Danny (Ben Mendelsohn), os problemas que poderiam culminar no fechamento do resort tocado agora apenas por Sally (Sissy Spacek) se dão por resolvidos, mas o envolvimento de Danny com o tráfico de drogas e o traficante local, Wayne Lowry (Glenn Morshower), são parte integrante da investigação de seu homicídio, operação essa que é realizada por uma força tarefa da qual John Rayburn (Kyle Chandler) faz parte, assim como seu amigo e ex-parceiro, Marco Diaz (Enrique Murciano).

Paralelamente, Kevin (Norberto Leo Butz) vem tentando lidar com o mundo real ao seu modo. Depois de idas e vindas com Belle (Katie Finneran) ao longo da primeira temporada, os dois agora tem um filho à caminho. Mas isso não o torna mais maduro. Mergulhado no álcool e nas drogas, ele causa a própria falência de seu negócio ao não conseguir saber lidar com a morte de Danny. Meg (Linda Cardellini), por sua vez, agora em New York, trabalha horas à fio com fins de se ver longe dos problemas da família, ao passo em que John mantém ambos os irmãos à par de todos os progressos na investigação.

A grande novidade na temporada é a presença de Nolan (Owen Teague), suposto filho de Danny, que deu as caras no último minuto da temporada anterior. Com pretensões escusas, aparência e comportamento idênticos aos de Danny, ele simplesmente aparece para assombrar os irmãos Rayburn num momento impar para todos. Ele se hospeda inicialmente na casa de John, e aos poucos passa à interagir com os demais membros da família, causando grandes desconfianças e desavenças, como quando Jane (Taylor Rouviere), a filha mais nova de John com Diana (Jacinda Barrett) confronta a própria avó sobre o fato de renega-lo como neto, ou quando parece quase ameaçar contar à Belle sobre a recaída de Kevin pouco depois dele se tornar sóbrio.

Como nenhum problema vem desacompanhado em se tratando de Bloodline, Evangeline (Andrea Riseborough), mãe de Nolan, também aparece pouco depois em Monroe. Um novo segredo de família é trazido à tona quando da descoberta de que Robert (Sam Shepard) a vinha sustentando com uma espécie de pensão alimentícia, pagamento esse sustado por Meg, inventariante do pai. Decidida a continuar a receber os pagamentos, ela confronta um à um dos Rayburn no intuito de continuar a fazer valer o acordo com Robert, muito embora tenha se mostrado uma péssima mãe ao sequer saber o paradeiro do filho e não atender as ligações de John para confirmar sua história. Juntamente com Evangeline, Ozzy Delvecchio (John Leguizamo), parceiro de crime de Danny em Miami, também chega em Monroe para ameaçar e chantagear os Rayburn no intuito de ganhar algum troco.

Enquanto isso, o amigo de mais confiança de Danny, Eric (Jamie McShane), continua escondido de Lowry, porquanto lhe deve um carregamento inteiro de entorpecentes. Mas ele tem algo que pode lhe ser favorável para barganhar com a policia no intuito de conseguir imunidade, e que diz respeito ao testemunho chave de que John mentiu sobre o verdadeiro e último encontro que teve com Danny pouco antes deste desaparecer e ser encontrado morto. Ambíguo como sempre, Eric também interage com Nolan e Ozzy, e é conhecer das pretensões de ambos em relação aos Rayburn.

Em meio a esse cenário complicado para os três irmãos da família Rayburn, tem ainda o detetive particular Lenny Potts (Frank Hoyt Taylor), o qual revela à Sally alguns segredos de John de dias antes da morte de Danny e que a deixa bastante inquieta à ponto de tornar a relação dos dois insuportável. Mas o que verdadeiramente compromete John, Meg e Kevin é o fato de que, em ano eleitoral para o cargo de xerife distrital, o atual xerife, Aguires (David Zayas), pretende se reeleger e mostrar serviço na resolução do caso de assassinato de Danny, cujo principal suspeito é Lowry.

As coisas ficam então complicadas em diversas fases para os irmãos Rayburn. Num primeiro momento, Lowry, agora fortemente investigado por John, surge com uma evidência que pode incriminar este último. Trata-se de uma fita cassete gravada por Danny pouco antes de morrer, na qual ele revela ao traficante tudo aquilo que pode implicar John em sua morte. Assim, Lowry tenta barganhar com o chefe de policia em seu favor. Mas John não se deixa abalar ao decidir fazer o que é o certo e na medida em que Lowry é ameaçado por alguém mais poderoso, John consegue fazer com que ele se comprometa a assumir o assassinato de Danny. Na falta de sincronia com os irmãos, no entanto, John é pego de surpresa quando Kevin, que no auge de uma sucessão de atos estúpidos realizados sob influência de entorpecentes, acaba entregando a Lowry a carta que ele precisava para revirar o jogo em seu favor. Num momento climax, John precisa escolher entre honrar a condição que é imposta por Lowry ou fazer seu trabalho como policial, culminando, assim, na revelação de toda a verdade que poderá macular o nome de sua família.

Quando um problema se resolve com a inesperada morte de Lowry, outro aparece na forma dos pilantras Evangeline e Ozzy. Cheios de más intenções, eles aparecem aos poucos na trama ao se envolverem com um a um dos membros da família Rayburn, ameaçando-os e chantageando-os indiretamente, ao passo em que Nolan também se aproxima da avó e lhe faz grande revelações sobre Danny, as quais são mostradas em flashback, recurso esse que permite à audiência amar e odiar Danny mais um pouco nos instantes extras em que ele ressurge em cena a cada um dos dez episódios da segunda temporada.

Enquanto isso, a investigação do assassinato de Danny, outrora arquivada com a morte de Lowry, é reaberta a pedido de Aguires, que parece ter certa desconfiança dos Rayburn ao mesmo tempo em que a fita cassete que se encontrava com Lowry desaparece de forma misteriosa. E é Marco que assume a investigação, em princípio  à contragosto e forçado por Aguires, mas que, ao descobrir lacunas no caso, mergulha com afinco na investigação até conseguir o que pode ser um grande testemunho de Eric, ao qual é pouco dado crédito em se tratando o malandro que nunca teve algo a oferecer.

Outra adição ao elenco, é o bilionário local Roy Gilbert (Beau Bridges), cujas intenções é a de fazer John o próximo xerife de Monroe. Para isso, ele financia sua campanha eleitoral contra Aguires, a qual passa a ser chefiada por Meg, mas com algumas condições que implicam em mais infrações da parte dos Rayburn, como a de fazer vazar um histórico de abuso doméstico da parte de Aguires. Como o fato de John se tornar xerife pode esfriar de uma vez por todas as investigações do assassinato de Danny, Meg decide assumir a suja tarefa de trazer os podres de Anguires à tona e solicitar mais favores à Gilbert, o que pode eventualmente não ser uma boa ideia. Misterioso, Gilbert é apontado por Sally como uma pessoa mesquinha, e que ao contrário do que este teria dito à Meg, inimigo de Robert, o que o torna ainda mais suspeito para o que ainda está por vir, principalmente depois de comprar a marina de Kevin, realizar estranhas atividades noturnas em seu porto e parecer ter tido negócios com Lowry e até mesmo estar envolvido no assassinato deste.

Com altos e baixos, a segunda temporada não chega a ser superior à primeira, cujo grande atrativo era justamente a introdução dos problemáticos membros da família Rayburn e daqueles que compunham seu ciclo social, as constantes petulâncias de Danny e seus confrontos com os pais e os irmãos, assim como as incríveis e misteriosas sequências em flashback e o desdobramento dos segredos que tanto perturbavam a família Rayburn e que culminaram no exílio do filho primogênito. O segundo, por sua parte, tem por norte basicamente a sobrevivência de John e de seus irmãos para se livrarem do crime que cometeram. As constantes mentiras e envolvimentos em mais ilícitos tornam o erro que cometeram ao final do primeiro ano ainda mais insustentável a situação em que se encontram e são capazes de abalar até mesmo os mais estáveis John e Meg.

Com um final estupendo e totalmente imprevisível, impossível que uma terceira temporada não seja confirmada. Com muito mais sorte do que juízo, os irmãos Rayburn podem ao menos agora ter uma segunda chance para fazer o que é o certo, ou talvez complicarem ainda mais sua situação com atitudes ou mesmo valendo-se da própria sorte que os salvou ao longo desse segundo ato tantas vezes, mas que parece tê-los deixado na mão nos instantes finais. Resta agora à audiência especular o que será de cada um deles, bem como qual será a reação de Sally ao descobrir toda a verdade e provavelmente esperar pelo pior à todos os que se atravessarem em seu caminho. Pois, tal como John disse ao início da primeira temporada, eles “não são maus, mas fizeram algo errado” e ou continuarão cometendo crimes para ocultar o que fizeram, ou terão que enfrentar as consequências. Como tudo gira em torno da proteção da família, será a união ou o rompimento total de seus membros que decidirá o futuro de todos.

A primeira e a segunda temporadas de Bloodline podem ser conferidas on streaming via Netflix.

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s