Review do episódio #1.11 de Gotham

google_img20150105-26565-4kvz4

No episódio de estreia da segunda metade da primeira temporada de Gotham, vemos nosso herói favorito – depois do Batman – em novo ambiente, bem como novos personagens e muito mais intrigas na conquista pelo poder no submundo do crime organizado. Extraordinariamente dinâmico, Rogue’s Gallery nos apresenta os eventos havidos após o rebaixamento de Jim Gordon (Ben McKenzie), que agora emerge como agente penitenciário no icônico Asilo Arkham após ver frustrado seu plano com Harvey Dent (Nicholas D’Agosto) em denunciar os esquemas de corrupção do Prefeito James (Richard Kind). Claro que, apesar da nova situação de Jim, isso nao o impedirá de continuar a realizar seu trabalho.

E não tarda para que Jim tenha seus primeiros conflitos, agora com o diretor do asilo, Gerry Lang (Isiah Whitlock Jr.), que cria obstáculos para uma investigação na instituição após um prisioneiro (Sam Seferian) ser atacado e eletrocutado. Ainda que Jim possa contar agora com a ajuda de Dra Leslie Thompkins (Morena Baccarin), que surge na série com papel recorrente e eventual e possível interesse amoroso para o personagem, o ex-detetive precisa também contar com o auxílio de Bullock (Donal Logue), que não parece ter guardado qualquer rancor do ex-parceiro após a descoberta da falsa execução de Cooplepot (Robin Lord Taylor). De fato, a dinâmica entre a dupla segue perfeitamente bem, e nos dá a certeza de que os dois voltarão a trabalhar juntos nos novos mistérios que dizem respeito ao asilo. Mas o momento mais surpreendente da trama principal é o fato de que o vilão da história, Jack Gruber (Christopher Heyerdahl), que é uma provável referência ao personagem Hugo Strange – o cientista maluco do universo de Batman – consegue escapar, dando a deixa para um retorno.

No quesito pessoal, as coisas não poderiam estar mais complicadas para Jim. Se de um lado ele tem agora a interação com a Dra Leslie, personagem significativamente importante no universo do Homem Morcego, já que é sua aliada e conhece seu segredo, o que também poderá render um novo romance para o ex-detetive; de outro, Jim ainda está abalado com a partida de Barbara (Erin Richards), que, por sua vez, segue com seu estranho e absurdo caso com Montoya (Victoria Cartagena), ainda que não pareça sequer ter ideia do que realmente quer. E o momento mais desconfortável do episódio é justamente quando Barbara parece decidida a dar uma chance ao ex-noivo e telefona para seu apartamento, tomado de assalto por Selina (Camren Bicondova) e Ivy Pepper (Clare Foley), a qual atende a ligação, e faz a loira acreditar que o amado já a esqueceu, o que ainda irá render um bom drama à la novelas mexicanas até o quadrado amoroso estar finalmente formado.

Finalmente, no submundo do crime, temos a continuação da batalha entre Penguin e Fish (Jada Pinkett Smith) pela conquista do poder, embora as coisas não saiam exatamente como o esperado para ambos. Encarcerado após trair Maroni (David Zayas), Copplepot é perdoado e solto após longas horas preso, e seu ar de descontentamento ao final do episódio nos dá a certeza de que sua vingança será feroz. Fish também não tem sorte quando envia Butch Gilzean (Drew Powell) para negociar com um membro da família de Falcone (John Doman), e este acaba o matando.

Apesar da mudança de ambiente, agora que Jim foi transferido para Arkham, podemos nos contentar com boas novas histórias que envolvem uma nova gama de personagens. E se Bruce (David Mazouz) e Alfred (Sean Pertwee) não dão as caras no episódio, fica a certeza de que a intenção clara é a de um melhor desenvolvimento para o personagem Jim Gordon, deixado um pouco de lado no final da primeira metade da temporada. No mais, os mistérios dentro das paredes do Asilo Arkham nos proporcionarão um retrato fiel dos terríveis e loucos criminosos que um dia enfrentarão o vigilante mascarado de Gotham, enquanto do lado de fora Pinguim e Fish continuam com suas tramas para derrubar Falcone e Maroni.

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios