Arrested Development : dica de série

arrested-development

Arrested Development, conhecida no Brasil como De Mal à Pior, é uma comédia de costumes criada e desenvolvida para a televisão por Mitchell Hurwitz e produzida pelo renomado cineasta Ron Howard, diretor de filmes como Apollo 13, Uma Mente Brilhante e O Código Da Vinci. Originalmente transmita pela Fox nas suas três primeiras temporadas (de 2003 a 2006), a quarta temporada da série passou a ser produzida e disponibilizada on streaming via Netflix a partir de maio de 2013.

O programa conta a caótica rotina dos Bluth, uma fictícia e ex-abastada família que, acima de tudo, é disfuncional. Com cenário em Newport Beach, na Califórnia, o formato de Arrested Development é composto por filmagens no estilo amador e com câmeras de mão que conferem imagens tremidas como se fossem as de um reality show, além de narração feita pelo próprio Ron Howard e história de fundo que envolve todos os personagens principais em cada episódio, cuja duração gira em torno de 22 minutos.

Vencedora de vários prêmios desde sua estreia, entre Emmys e Golden Globes, a série se tornou um sucesso cult, arrecadando uma imensa base de fãs. Listada pela Time de 2007, como uma das “100 Melhores séries de TV de todos os tempos”, e pela Entertainment Weekly de 2008, como a 16ª colocada na lista dos “Novos clássicos da TV”, Arrested Development também se consagrou em 2011 como “A série de TV mais engraçada de todos os tempos”, segundo o IGN.

Apesar de tantos prêmios e honrarias, Arrested Development acabou sendo cancelada por baixos índices de audiência, os quais foram atribuídos à falta de compreensão do público quanto ao formato e ao gênero de comédia nela embutido. Contudo, quatro anos depois, a série foi retomada pela Netflix, que adquiriu os direitos para a produção de uma quarta temporada, lançada em 2013. Diz-se que o roteiro para um filme de Arrested Development estaria em desenvolvimento, e que o próprio Ron Howard não apenas dirigiria, como também atuaria numa ponta. E, embora não seja o desejo de muitos, por conta do mau desempenho da quarta temporada devido à mudança na trajetória de alguns personagens e no próprio estilo da série, a possibilidade para um quinto ano já é quase certa, segundo declaração de Ted Sarandos, CEO da Netflix, ao USA Today.

O grande arroubo de Arrested Development, e que a tornou uma das maiores produções da comédia televisiva em seus primeiros anos, alavancando ainda a carreira de boa parte do seu elenco principal, é o estilo cômico repetitivo, porém extremamente inteligente.

Sem pormenores, a história gira basicamente em torno da família Bluth, que leva um estilo de vida extravagante e fútil, com contornos incestuosos. O protagonista é Michael (Jason Bateman), único membro da família desprovido de interesses pessoais ou materiais. Ele é um jovem viúvo com um filho adolescente, George Michael (Michael Cera), também dotado de boa índole, porém constantemente pressionado a viver sob as expectativas do pai. Os dois acabam vivendo várias situações que evidenciam as dificuldades de George Michael para satisfazer os anseios de Michael, muitas das quais acabam com boas doses de superação, quando não em mais traumas ainda para o pobre rapaz.

No episódio piloto, Michael se prepara para mudar de cidade com fins de se afastar de sua tóxica relação com os pais e os irmãos e se reconectar com o filho, mas é forçado a assumir os negócios no ramo imobiliário da família quando o patriarca, George Bluth Sr (Jeffrey Tambor), é preso por fraude e sonegação fiscal. Não bastasse a difícil promessa feita ao pai de assumir o controle da empresa, Michael se sente na obrigação, devido ao seu forte senso de decência, de se posicionar como o responsável por manter a família unida, mesmo que isso comprometa sua sanidade mental.

Lucille (Jessica Walter) é mãe de Michael e esposa de George Sr. Manipuladora e controladora, ela não mede esforços para prejudicar os bons propósitos de Michael, ainda que em desvantagem para a família, principalmente quando se vê obrigada a baixar o padrão de vida. Hipercrítica, e com fortes tendências ao alcoolismo, Lucille é constantemente vista como entrave para a independência e a autonomia do filho mais novo, Buster (Tony Hale), cuja paternidade é incerta devida às constantes indiretas de Oscar (Jeffrey Tambor), irmão-gêmeo de George com quem Lucille teve um caso no passado, e que volta e meia aparece na série para insistir num revival. Buster, por sua vez, por conta da super-proteção e do controle absoluto a que é submetido por Lucille, é de uma personalidade ímpar. Instável, ele é ainda dotado de uma inépcia total à vida social, e sofre de constantes ataques de pânico, os quais o colocam em diversas situações de perigo.

O irmão mais velho de Michael é Gob (Will Arnett), anacronismo de George Oscar Bluth II, mas cuja pronunciação é “Job”. Ele é um mágico profissional sem sucesso que vive de pequenos negócios e esquemas. Desinteressado pela empresa da família, ele é o principal rival de Michael em grandes disputas pela atenção paterna, e por conta disso acaba sendo protagonista de diversas situações que não apenas colocam em risco os negócios da família, como também comprometem a relação entre todos e a tão almejada estabilidade emocional e financeira perseguida pelo irmão.

Lindsay (Portia de Rossi) é a irmã-gêmea de Michael. Mimada e extremamente materialista, ela continuamente deseja manter um padrão de vida que não lhe diz mais respeito e se ocupa de projetos sociais temporários, ao passo em evita a qualquer custo trabalhar. Acostumada com mordomias, ela se vê constantemente provocada por Michael a tomar novo rumo, principalmente quando Tobias Fünke (David Cross), seu marido, e ex-psiquiatra, decide se tornar ator e não tem a menor aptidão para conseguir um papel decente. Auto-diagnosticado como “never-nude”, expressão exclusiva para a série que significa inaptidão para ficar completamente nu independentemente do lugar ou da situação, Tobias não apenas tem o casamento comprometido quando das várias tentativas de Lindsay de arrumar um amante, como também protagoniza algumas das mais surreais situações na sua tentativa de se tornar ator.

Maeby (Alia Shawkat) é a filha adolescente de Lindsay e Tobias. Rebelde, ela procura sempre desafiar seus pais, embora nunca consiga atingir seus objetivos pela total, porém inconsciente, falta de interesse da arte dos dois. Mais madura do que os próprios, no decorrer da série ela também acaba várias vezes se confrontando com George Michael, isso por conta dos bons princípios que movem o primo a sempre cumprir de forma diligente suas tarefas, ainda que ela só queira tirar vantagem de tudo e de todos para causar furor, e de quebra acabe conquistando o coração do pobre e já bastante traumático garoto.

Além do grande elenco que compõe a grade de personagens principais, Arrested Development também se vale de algumas presenças recorrentes, como as de Henry Winkler como Barry Zuckerkorn, o estabanado advogado da família, e Liza Minnelli como Lucille Austero, vizinha e rival de Lucille Bluth, além de amante de Buster. A série também conta com várias grandes participações especiais, como as de Charlize Theron, Amy Poehler, James Lipton, Scott Baio, Ben Stiller, Seth Rogen e Julia Louis-Dreyfus.

Com um estilo único, um senso de humor ácido, e várias referências à cultura popular moderna, Arrested Development pode jamais ter sido bem compreendida por uma boa leva de telespectadores nos seus três primeiros anos de transmissão culminando no seu precoce cancelamento, e pode até não ter tido a quarta temporada como uma de suas melhores ao mudar a fórmula que a consagrou anos antes ao focar cada episódio num personagem, mas ainda é imbatível no quesito comédia inteligente aliada a um elenco composto com o que de melhor já se viu reunido na televisão, motivo pelo qual vale a pena ser conferida!

Todas as quatro temporadas de Arrested Development podem ser conferidas on streaming no Netflix.

Deixe um Comentário