Review do episódio #1.06 de True Detective

Screen-Shot-2014-02-27-at-10.27.18-PM

Em continuação ao episódio The Secret Fate of All Life, True Detective segue com Haunted Houses.

Após ser inquirido pelos detetives Maynard Gilbough (Michael Potts) e Thomas Papania (Tory Kittles) sobre o rompimento com Cohle (Matthew McConaughey) em 2002, Hart (Woody Harrelson) revela que o parceiro começou a trabalhar sozinho num caso do qual não fazia parte. Ele acrescenta, ainda, que o último trabalho que fizeram juntos foi da investigação de Charmaine Boudreaux (Azure Parsons), acusada de matar o próprio filho.

Assim, e de volta ao ano de 2002, vemos Cohle interrogando Boudreaux. Com sua notável expertise, ele consegue fazê-la assinar sua própria confissão. Ao final, ele lhe explica que as coisas na prisão não são nada fáceis, principalmente para quem mata crianças, e ele então lhe sugere se matar na primeira oportunidade que tiver. Martin, que assiste ao interrogatório, revela a Gilbough e Papania que acredita que a confissão de Boudreaux teria contribuído para a condição deteriorada de Cohle.

O que Hart não sabia, no entanto, era que Cohle tentava com Boudeaux encontrar uma pista que o levasse a investigar as escolas fundadas pelo Reverendo Tutle (Jay O. Sanders), ao que consegue descobrir que em 1988 houve acusações de abuso de crianças nas tais escolas. Assim, Hart só consegue enxergar, em 2002, o quanto o parceiro se tornou presunçoso, principalmente quando é colocado para digitar a confissão de Boudreaux e ser logo em seguida subestimado.

Cohle decide então ir ao hospital psiquiátrico onde se encontra internada Kelly Rita (December Ensminger), a garota sobrevivente que ele e Hart encontraram no depósito de Reggie Ledoux (Charles Halford) em 1995. Mas ela se encontra em estado catatônico desde então, e supervisionado por uma enfermeira, Cohle tenta obter dela algumas informações. Ele então pergunta sobre Ledoux e Dewall (Ólafur Darri Ólafsson). Finalmente, ela menciona um terceiro homem com várias cicatrizes no rosto, e revela que ele a fez olhar o que os outros dois faziam com o garoto que também era mantido em cativeiro com ela. Quando Cohle tenta descobrir com ela uma descrição mais apurada do homem com cicatrizes, a garota entra em pânico e começa a gritar descontroladamente.

O detetive começa então a associar todos os casos de abusos e desaparecimentos de menores anteriores a 1990 com a morte de Dora Lange (Amanda Rose Batz), em 1995. Numa tentativa de descobrir mais alguma pista, ele vai ao encontro do Reverendo Tutle, e lhe faz várias perguntas, mas este é evasivo e mostra denotado interesse pela revisitação do caso.

Mais tarde, na delegacia, o chefe de polícia, Leroy Salter (Paul Ben-Victor), procurado pelo Reverendo Tutle, exige que Cohle cesse com suas investigações sobre crianças desaparecidas. Rust tenta argumentar, e busca apoio do parceiro, mas Hart, ressentido pelo tratamento que lhe vem sendo dispensado, acaba concordando com o superior, que suspende Cohle por um mês por insubordinação.

Em 2012, Hart não presta qualquer informação a Gilbough e Papania sobre o incidente havido com Cohle em 2002. Ao final, ele ressalta não acreditar que o ex-parceiro esteja envolvido nos assassinatos investigados, e vai embora.

Na sequência, Maggie (Michelle Monaghan) é chamada para uma entrevista. Ela então relata aos detetives não saber dos motivos acerca do rompimento da parceria, mas flashbacks finalmente mostram o ocorrido em 2002.

Após por acaso encontrar com Beth (Lili Simmons), a prostituta para quem deu dinheiro e sugeriu mudar de vida em 1995 enquanto investigava o caso de Dora Lange, Hart começa a ter um caso com a garota. Ela passa então a lhe enviar fotos nas quais está seminua, e Maggie as descobre. Ressentida, ela vai a um bar e flerta com um homem, mas acaba eventualmente indo à casa de Cohle. Suspenso, ele continua a trabalhar no caso das crianças desaparecidas. Maggie o seduz, e os dois acabam fazendo sexo. Ao final, ele entende a intenção da esposa de seu parceiro, e a confronta, mas Maggie apenas esclarece ser a única forma do marido não querer mais ficar com ela e lhe dar o divórcio.

Assim, após um último encontro com Beth, Hart chega tarde à casa para encontrar Maggie à sua espera. Ela então lhe revela que descobriu as fotos em seu celular, e antes que ele possa se explicar, ela lhe diz que dormiu com alguém, informa que foi com Rust, e que foi bom. Furioso, Hart parte para cima dela, mas Maggie o ameaça de contar tudo às filhas.

No dia seguinte, Hart está transtornado em sua mesa, e alguém menciona que Cohle está no pátio, quando deveria estar suspenso. Ensandecido, Martin se desarma, retira o paletó e deixa o distintivo sobre a mesa para ir ao seu encontro. Ao ver o parceiro, Cohle tenta explicar que está ali para ver uns arquivos, mas Hart parte para cima dele. Os dois brigam violentamente, e outros policiais aparecem para apartá-los. Diante do chefe de polícia, Cohle pede desligamento.

Em 2012, Maggie não dá qualquer informação sobre o incidente havido entre ele e Cohle, e informa jamais ter voltado a vê-lo, mas enfatiza aos detetives Gilbough e Papania que ele era uma boa pessoa, e que não tem dúvidas do seu caráter.

O episódio termina com Hart dirigindo pela estrada, ao que percebe estar sendo seguido por uma caminhoneta vermelha já há algum tempo. O sujeito na caminhoneta começa então a buzinar, e ele estaciona. Cohle desce do veículo e vai até ele. Os dois trocam um breve cumprimento, e Cohle o convida para pararem em algum lugar para tomarem uma cerveja, ao que Hart concorda. Cohle volta para sua caminhonete, Hart verifica seu revólver e o episódio termina.

A menos de dois episódios do final, fica cada vez mais intrigante o desvendamento dos mistérios, seja acerca do assassinato de Dora Lange, do desaparecimento das crianças e do envolvimento dos Tutle e eventuais outras autoridades locais, mas, sobretudo, do caráter extremamente duvidoso dos personagens Cohle e Hart. Abalados por um evento desencadeado pela constante infidelidade de Hart, a dupla de detetives, que tinha como elo principal a confiança mútua vê perdida toda e qualquer chance de convivência apta a fazê-los superar todas as diferenças havidas.

Agora, no entanto, e seguindo a pista do final de Haunted Houses, os dois provavelmente terão que superar o incidente de dez anos antes para consertar o erro cometido em 1995, numa trama cada vez mais entroncada, e que provavelmente os lançará a um caminho sem volta, mas que certamente irá destruir os demônios na cabeça de Cohle.

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios