Dallas Buyers Club : Road to the Oscars

EXCLUSIVE: Matthew McConaughey and Jared Leto film scenes together for The Dallas Buyers Club in New Orleans.

Dallas Buyers Club (2013)****

«Atreva-se a viver» é o lema da semicinebiografia de Ron Woodroof, dirigida por Jean-Marc Vallée e com roteiro de Craig Borten e Melisa Wallack.

Realista e cruel, Dallas Buyers Club conta a dramática história do texano Woodroof, excelentemente interpretado por Matthew McConaughey, diagnosticado com AIDS em 1986, e com chances de sobrevida de apenas um mês. Incrédulo quanto ao prognóstico, mas, sobretudo, quanto ao fato de ser portador do vírus HIV por desacreditar que faça parte do grupo de risco da doença, ele mergulha em estudos e leituras, e passa então a enfrentar a triste, nova e dura realidade sem, porém, conformar-se com ela.

Relutante e temperamental, Ron recusa se entregar, e consegue, de forma ilegal, acesso ao AZT, ainda em fase de testes e recém-aprovado pela FDA, agência responsável pela regulamentação e fiscalização dos produtos alimentícios e farmacêuticos nos Estados Unidos. Quando os meios para a obtenção do medicamento se esgotam, ele consegue um contato no México, e lá vem a descobrir a existência de um coquetel sem os efeitos colaterais do AZT, mas não aprovado pela FDA. Com forte espírito empreendedor, Woodroof consegue trazer vários estoques do medicamento para venda nos Estados Unidos, e dá início ao que eventualmente acaba se tornando o Dallas Buyers Club, em março de 1988.

Ignorado pelos médicos, à exceção da personagem Eve Sacks (Jennifer Garner), que no longa-metragem se presta unicamente como reforço em prol da classe científica, Woodroof acaba sendo perseguido pelo FBI e acusado de crime de obtenção de lucro indevido e ilegal, o que, no entanto, e na película, pouco lhe parece incomodar dado o fato de que ele passou a se automedicar com os três diferentes tratamentos, resultando uma sobrevida de mais de seis anos.

Operando em larga distribuição em Oak Lawn, Texas, o clube se tornou uma enorme rede de compradores e vendedores em alta escala, sempre mantendo distância da FDA, importando kits para tratamento de diversos países.

O filme é denso, e o grande arroubo é a performance e a transformação física não apenas de McConaughey, mas de Jared Leto, que interpreta o transexual Rayon, e que, a despeito de um mal começo com o então homofóbico Ron, compartilha com ele o mesmo desejo de viver, mas principalmente de desafiar as sanções governamentais para a aquisição de medicamentos não aprovados, ajudando-o, assim, na criação do clube de compradores.

Mais do que um espetáculo como o bom filme que Dallas Buyers Club é, o longa-metragem é ainda uma verdadeira lição de vida, sobre como vivê-la ao máximo e, acima de tudo, como saber lutar por ela todos os dias. E se a assustadora aparência de McConaughey para mostrar o definhamento do personagem pela doença não impressiona, ao menos a luta diária de seu personagem para viver mais um dia certamente cumpre bem a missão. 

Para a premiação do Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, tanto McConaughey como Leto são fortíssimos candidatos a levar os prêmios de melhor ator principal e melhor ator coadjuvante, o que só confirma o quanto esse ano a disputa será tensa.

 

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios