Review do episódio #4.06 de The Walking Dead

TWD_406_GP_0716_0140

Após o episódio de tirar fôlego da semana passada, The Walking Dead retorna para mostrar por onde andou o Governador (David Morrissey) após o confronto entre os sobreviventes liderados por Rick Grimes (Andrew Lincoln) e os habitantes de Woodbury ao final da terceira temporada.

O episódio começa mostrando o Governador sentado em frente à uma fogueira num acampamento noturno. Ele olha fixamente as chamas e, de súbito, uma walker começa a se aproximar dele. Ela tropeça, cai, e se arrasta sobre a fogueira até quase alcançá-lo, quando então Martinez (Jose Pablo Cantillo) surge e acerta um tiro na cabeça da errante. Nisso, o Governador continua imóvel e inexpressivo.

No dia seguinte, o Governador sai de sua barraca, e descobre que foi deixado para trás, e então retorna para Woodbury num caminhão. Lá, ele destrói o que restou da cidade, incendiando-a completamente enquanto walkers tomam as ruas. Após, ele segue viagem à pé, e muito tempo se passa. Aos frangalhos, e com cabelos e barba compridos, ele chega a uma rua abandonada, e vê uma menina que o observa da janela de um prédio. Intrigado, ele decide ir até ela.

Recepcionado por uma mulher com um bastão, e a menina agarrada à sua cintura, o Governador é rendido por uma segunda mulher, e entrega a arma à elas. Ele então se apresenta como Brian Heriot, e descobre que as duas mulheres são Tara (Alanna Masterson), que informa ser policial em Atlanta, e Melody (Audrey Marie Anderson), mãe da menina, que se chama Megan (Meyrick Murphy). Junto a elas, está Don (Danny Vinson) o pai enfermo das duas mulheres que está em estágio avançado de câncer, valendo-se de um tanque de oxigênio para se manter vivo.

O Governador informa então que deseja apenas passar a noite, e as duas mulheres concordam e o deixam ficar no apartamento da frente. Após ajudar Don a se deitar, este lhe informa sua perspectiva de vida pré-apocalipse zumbi, e o quão difícil é não saber proteger suas filhas do mundo atual. Ele pergunta se o Governador tem filhos, e este diz que não, e Don então pede que ele vá até um outro apartamento vizinho para pegar um jogo que pode alegrar Megan. O Governador vai até lá, e encontra um walker sem pernas se contorcendo na banheira. Ele o apunhala na cabeça, e pega o revólver que estava com ele, bem com projéteis que encontra debaixo da cama junto com o jogo.

À noite, o Governador pega a fotografia de sua esposa e filha e dorme. Na manhã seguinte, Melody entra e vê a fotografia sobre a mesa, que ele esconde rapidamente, e entrega um embrulho com comida para viagem. Ela então devolve a arma, mas ele recusa, dizendo que elas precisam de mais uma, e mostra o revólver que encontrou no apartamento vizinho. Ele explica a Melody que eles devem acertar os walkers na cabeça. Antes dele ir embora, Melody pede mais um favor: que ele vá até uma casa de idosos na vizinhança e traga mais um tanque de oxigênio para seu pai, pois o que ele tem não irá passar de dois dias, explicando que Don é o único que consegue fazer Megan sorrir.

Mais uma vez, pela menina, o Governador vai até a tal casa de idosos, e desvia de vários mordedores, mas quando consegue pegar um carrinho com vários tanques de O2, é encurralado por inúmeros walkers. Atrapalhado, e sem ao menos se defender, o Governador cai, fere o rosto, e consegue pegar apenas um tanque, para então escapar.

De volta ao apartamento, ele entrega o tanque à Melody, e volta apressadamente para o apartamento da frente. Melody vai atrás dele, e pede para ajudá-lo com o ferimento no rosto. Enquanto explica ao Governador que era enfermeira e passa um medicamento em seu sobrecílio, Melody revela que Megan achou que ele era o pai quando o viu da janela, e conta que este saiu de casa antes da pandemia e nunca mais retornou. Megan aparece, e Melody a deixa com o Governador por uns instantes. Desconfortável, o Governador é inquirido pela criança acerca do tapa-olho, e ele lhe conta que é um pirata. Ela então debocha e pede a ele para contar a verdade. O Governador então revela que foi ferido tentando proteger alguém que ele amava muito.

Passa-se um bom tempo, e o Governador ficou com a pequena família de sobreviventes. Com cabelos curtos e barba feita, ele agora é bastante próximo de Megan. Ele lhe explica as regras do xadrex, enquando Tara e Melody estão com Don no que parece ser seus últimos instantes de vida. Melody então vai até eles, e sinaliza para Megan que vá ver o avô. O Governador segue logo atrás delas, e vê Tara ao lado na cama, ao que esta informa que ele já morreu há algum tempo. Sabendo que Don pode acordar transformado a qualquer instante, ele diz à todas para sair, mas o morto abre os olhos, e ataca Tara. Mais do que depressa, o Governador pega o tanque de O2, e aos gritos histéricos de todas, esfacela seu crânio, finalmente matando-o.

O Governador abre uma cova para enterrar Don, e Melody se aproxima para ajudá-lo. Ela dá a entender que não se sente mal pelo que houve, e quando retornam ao apartamento, ele queima a fotografia de sua família e decide partir. Quando ele se despede de Melody, ela lhe diz que sabe que não são família, mas que estão agora juntos, e que deve levá-las com ele.

No dia seguinte, os quatro seguem viagem no caminhão que estava estacionado em frente ao prédio. Tara se mostra simpática à mudança, e revela ao Governador que não é uma policial de verdade, eis que ainda estava na academia. Ela então lhe pergunta se eles vão conseguir se sair bem, e ele diz que sim, e que não está mentindo. Megan, no entanto, ainda não fala com ele depois do ocorrido com o avô.

À noite, os quatro estão dormindo no baú do caminhão, e Melody começa a se aconchegar junto ao Governador. Ele acorda, e os dois começam a se beijar.

No dia seguinte, o caminhão não está funcionando, e o Governador segue viagem à pé com as duas mulheres e Megan. Subitamente, Tara torce o tornozelo, ao passo que o Governador nota um movimento estranho. Ele avança pela estrada, e vê inúmeros walkers que se aproximam. Enquanto Melody se abaixa para ajudar Tara, ele ordena que todas larguem tudo e corram. Melody ajuda Tara, e grita para Megan segui-los, mas a garota fica imóvel, enquanto os walkers ficam cada vez mais próximos deles. O Governador a chama, e Megan finalmente corre para seus braços. Emocionado, ele a pega no colo, e todos correm pela floresta.

De repente, o Governador cai com Megan dentro de uma vala repleta de walkers, e mata todos eles de forma violenta e com as próprias mãos para proteger a menina enquanto disparos de metralhadora são ouvidos na superfície. Os dois se abraçam, ele promete que jamais vai deixar nada de ruim acontecer a ela, e no topo da vala Martinez aparece com uma metralhadora, surpreso por reencontrar o Governador, e o episódio acaba.

Bom, o episódio que marca o retorno do Governador foi uma surpresa um tanto quanto inesperada. Enquanto se esperava encontrar o personagem como o símbolo máximo da maldade conforme representado nos quadrinhos, temos aqui um Governador sem propósito após a evasão dos habitantes de Woodbury para o presídio, bem como sem qualquer motivação para matar os walkers numa espécie de crise que nos remonta ao mesmo havido com Rick no começo da temporada, quando parecia decididamente a nunca mais usar sua arma.

Num dado momento, conseguimos até simpatizar com o sujeito que perdeu tudo num mundo em ruínas, e que tenta juntar seus cacos quando finalmente encontra uma família que o aceita, a despeito de aprendermos com as últimas temporadas que não se pode confiar nem mesmo nos vivos. Hesitante, ele se aproxima de Megan e de Melody, e acaba se afeiçoando à menina, projetando nela o amor que sentia por sua filha, e ganha uma razão para seguir adiante quando ela é colocada em perigo.

De forma um tanto quanto confusa, temos aqui o ressurgimento do Governador, aquele que deveria ser o grande nemesis nessa parte da série, como um sujeito completamente diferente do prometido e que, embora perdido, tem boas intenções. Se a ideia da série é humanizar os personagens num universo decadente, tal como tanto se apregoa, então os roteiristas estão no caminho certo, e conseguimos até mesmo nos convencer de que o Governador é um bom sujeito e que talvez tenha definitivamente esquecido sua vendeta com Michonne (Danai Gurira) quando queimou a fotografia de sua família (será?).

O fato, é que num universo paralelo aos quadrinhos não sabemos se isso vai durar, e até quando. Provavelmente agora, junto a um novo grupo, supostamente liderado por Martinez – ou um outro personagem que não conhecemos, e que pode ou não ser dos quadrinhos, e talvez até de má índole -, o Governador tem novo propósito, e nunca saberemos se sua loucura poderá transbordar caso perca novamente tudo o que conquistou (ou reconquistou).

Além do mais, seguindo a linha de raciocínio de que esse episódio e o próximo mostram a trajetória em paralelo do personagem após os eventos do final da terceira temporada, temos que o Governador que vimos ao final de Internment, e que observa de maneira sinistra o presídio logo após a epidemia da gripe, decidamente não é o mesmo Governador que vimos ao longo desse episódio, podendo (ou não), e de acordo com sua saga pessoal que termina na semana que vem, seguir adiante com sua revanche contra o grupo de Rick. Resta-nos agora apenas aguardar para saber.

Deixe um Comentário