Review do episódio #4.05 de The Walking Dead

The Walking Dead _ Season 4, Episode 5 - Photo Credit: Gene Page/AMC

Após deixar Carol (Melissa McBride), Rick (Andrew Lincoln) retorna ao presídio. No banco do passageiro, ele olha o relógio de pulso que ela lhe entregou ao final do episódio anterior.

No presídio, Hershel (Scott Wilson) tenta administrar os medicamentos que restam entre os pacientes que se encontram na ala da quarentena. Com a ajuda de Glenn (Steven Yeun), ele descobre que um dos doentes morreu, e o veterinário insiste que ele seja levado para uma sala reservada, longe de todos, principalmente de Lizzie (Brighton Sharbino), para apunhalá-lo na cabeça a fim de que ele não se transforme em walker.

Mais tarde, Maggie (Lauren Cohan) vai visitar Glenn no isolamento, mas Hershell aparece, e este lhe diz que ele está repousando. Ela nota como o pai está abatido, e implora para que ele a deixe ajudá-lo. Hershell é firme com ela, e então desconversa, perguntando como está Beth (Emily Kinney). Quando Hershell retorna para o pavilhão, Glenn está próximo e agradece por não tê-la deixado vê-lo naquele estado.

No dia seguinte, Maggie tenta conter os walkers que se concentram na cerca a fim de não desestabilizá-la, ao que avista o carro de Rick se aproximar. Ela abre o portão da entrada, e quando ele desce, pergunta onde está Carol. Hesitante, ele explica que ela matou Karen (Melissa Ponzio) e David (Brandon Carroll) no intuito de conter o alastramento da doença, e que a deixou para trás com veículo e suprimentos. Ele é enfático no sentido de que ela admitiu o que fez, e ao questionar o que teria feito em seu lugar, Maggie o apoia em sua decisão.

Hershell visita o Dr Subramanuan (Sunkrish Bala) em sua cela, e este lhe revela que está no último estágio da doença, bem como o adverte no sentido de que perdendo um paciente, outros morrerão na sequência. Ele então o alerta para o estojo com armas que tem debaixo de sua cama, e de que Hershell deve se assegurar de que todas as celas estão trancadas.

Rick encontra Carl (Chandler Riggs) na ala dos não infectados e pergunta se está tudo em ordem. O garoto diz que sim, e pede para sair para ajudá-lo. Rick entrega provisões ao filho, e pede que ele fique onde está, tentando preservá-lo.

Um dos doentes cai morto no corredor, e com a ajuda de uma bastante moribunda Sasha (Sonequa Martin-Green), Hershell a leva para a sala de visitas para, desta vez, sozinho, acertá-lo na cabeça. Ele então se dá conta de que até aquele momento eram Sasha e Glenn que o faziam, e então cobre o rosto do morto para então golpeá-lo. Rick o surpreende na sala ao lado, e os dois se falam através do vidro. Hershell confidencia o quanto está arrasado com toda a situação, e os dois admitem que as coisas nunca mais serão as mesmas depois disso, e que já tiveram seu pequeno momento de paraíso antes da epidemia. Rick então decide lhe contar sobre Carol. Após, sem que saibamos a reação do veterinário, este retorna bastante abalado para o pavilhão dos doentes para ordenar a todos que fechem as celas, quando então encontra Sasha desmaiada. Preocupado em reanimá-la, ele não nota que em alguma das celas abertas adiante, há uma enorme poça de sangue e alguém morreu e já se transformou.

Do lado de fora, Rick e Maggie tentam estabilizar a cerca com toras de madeira, ao que ele é agarrado na perna por um dos walkers, para então ser salvo por Maggie.

Na ala dos doentes, Glenn tenta manter um paciente vivo com uma bolsa de ar, o qual acaba morrendo. Ele então tenta ressuscitá-lo, porém, em vão, e quando chama por Hershell, acaba sendo acometido por uma forte tosse, e cai ao chão. Lizzie se aproxima, e chama por ajuda. Hershell consegue reanimar Sasha, e ela lhe diz que ele é um velho tolo, mas admite que não estaria viva se não fosse por ele. O veterinário a deixa, e nota um paciente possivelmente morto, ao que o pai deste informa que ele está apenas dormindo, e se tranca na cela com ele. Hershell informa que vai retornar mais tarde para vê-lo, mas quando se vira, vê uma walker caminhando pelos corredores, e ela cai sobre ele, na tentativa de devorá-lo. Uma doente consegue tirá-la de cima do veterinário, e o homem dentro da cela sai, e dispara contra a errante, mas erra e mata a doente quando é mordido pelo próprio filho, que sai transformado da cela, para então o caos tomar conta do lugar.

Rick e Maggie escutam o disparo, e ele ordena que ela vá ajudar, pois ele deve continuar a vigiar a cerca, que se encontra cada vez mais instável. O ex-xerife vai então até a ala dos não infectados, e chama por Carl, e pede que ele o ajude.

Maggie corre para o pavilhão dos doentes, mas não consegue abrir a porta, que é à prova de balas, mas nota a confusão que se instaurou no lugar por conta dos transformados que agora atacam a todos.

Hershell corre para verificar Glenn, e vê Lizzie tentando «domesticar» o transformado que estava com ele. O veterinário a salva quando esta cai e está prestes a ser devorada, jogando o walker para o lado, sobre uma rede de proteção. Ela tenta se justificar dizendo que achou que ele seria diferente, pois não atacou Glenn, e Hershell corre para vê-lo, ao que o descobre quase desmaiado. O veterinário vai então até a cela do Dr Subramanuan, mas o encontra transformado. Ele o apunhala na cabeça entre as grades, e pega o estojo com armas.

Do lado de fora, as coisas não poderiam estar piores. Após estabilizarem parte da segunda cerca, Rick e Carl são surpreendidos quando os walkers conseguem arrebentar uma parte dela e entram aos montes. Os dois correm para dentro da primeira cerca, e notam que ela também não irá durar muito. Os dois se armam com rifles, e Rick instrui o filho a permanecer o mais longe possível dos errantes, que rompem a primeira cerca. Eles então começam a disparar incessantemente contra os walkers.

Hershell está para descer e disparar contra os walkers que se encontram na ala dos doentes, mas com todos trancados nas celas, os errantes começam a subir as escadas. O veterinário se prepara para atirar, mas Lizzie o observa de dentro de uma cela, e ele então atrai os walkers para uma sala, enquanto Maggie finalmente consegue entrar no pavilhão após quebrar a janela na sala de visitas. Após voltar para ver Glenn, e descobrir que ele precisa imediatamente ser entubado, Hershell decide confrontar o walker que quase atacou Lizzie, pois ele possui a última bolsa de ar disponível. Maggie entra na ala, e o vê do primeiro andar lutar contra o errante bem acima dela. Ele grita para que ela não acerte a bolsa, pois é a única que restou e que pode manter Glenn vivo, e ela dispara certeiramente contra a cabeça do walker.

Os dois correm apressados para a cela de Glenn, e enquanto Maggie segura os braços do namorado, já praticamente desfalecido, Hershell o entuba, e ele fica estável. Lizzie observa tudo de perto.

Rick e Carl acertaram todos os walkers do lado de fora, e permanecem junto à primeira cerca para apunhalar na cabeça aqueles que, apesar de caídos, continuam a se mover, ao que Carl vê o carro com a expedição liderada por Daryl (Norman Reedus) e Michonne (Danai Gurira) retornar com os medicamentos, e informa o pai que todos ficarão bem agora. Os dois então abrem o portão da entrada para o veículo entrar, e Daryl leva os medicamentos para a ala do isolamento, enquanto Tyreese (Chad L. Coleman) pergunta desesperado por Sasha.

No pavilhão dos doentes, Tyreese entra na cela de Sasha, que embora fraca, está bem, e a conforta, enquanto Bob (Lawrence Gilliard Jr.) e Maggie ajudam Hershell a aplicar os antibióticos nos doentes. Maggie então pede ao pai para descansar, e Hershell caminha abalado para sua cela, senta na cama, e cai aos prantos.

Do lado de fora, Rick caminha em direção à cerca, e é alcançado por Carl, que o questiona o motivo dele não tê-lo acordado cedo. O ex-xerife diz que achava uma boa ideia que ele descansasse mais um pouco, e diz que precisa conversar com Daryl. Carl questiona se precisa ser naquele instante, dando a entender que gostaria de ficar um pouco mais com ele, e Rick informa que pode esperar. Os dois vão até a horta e saboreiam grãos que estão começando a crescer.

Enquanto Michonne e Daryl terminam de colocar os mortos num caminhão para levá-los para longe, Hershell se aproxima. Daryl pergunta sobre Glenn, e quando Heshell lhe diz que ele está estável agora, ele lhe diz que o rapaz é durão, e que o veterinário também o é. Finalmente, Daryl pergunta sobre Carol, e Hershell diz que ele deve conversar com Rick a respeito, ao que ele vai procurá-lo.

Michonne se prepara para levar o caminhão com mortos para longe, e pergunta se Hershell quer ir junto com ela, ao que ele concorda.

Do lado de fora do presídio, alguém os vigia de longe: é o Governador (David Morrissey), e o episódio acaba.

Sem sombra de dúvidas, o melhor episódio da temporada até o momento. E se alguém mais tinha alguma dúvida da capacidade de cada um dos integrantes do grupo de sobreviventes, agora já não resta mais nenhuma. Embora o episódio seja posterior a um dos eventos mais polêmicos do quarto ano, qual seja, a expulsão de Carol da comunidade, o que vem gerando críticas insustentáveis entre os fãs contrários à medida, não vimos ainda a descoberta por todos acerca do ocorrido, bem como suas respectivas reações, mas tivemos aqui uma sucessão de acontecimentos que não apenas conferiu respaldo à decisão de Rick, como comprovou que o grupo continua mais forte do que nunca.

No episódio, por exemplo, vemos Hershell no seu limite máximo na tentativa de salvar as vidas dos pacientes acometidos pela gripe fatal. Ele não mede esforços para fazer o impossível para preservar cada um dos doentes sem alarmá-los com as mortes daqueles que não sobreviveram e podem se transformar. Não é apenas sua função, ou sua natureza, mas seus valores. Para Hershell, cada vida é valiosa, e sem ele, o grupo não terá mais um símbolo de moral. E sobre não querer que o grupo de doentes presencie o apunhalamento dos doentes mortos, basta lembrar que o próprio Hershell deixa claro a Rick que sabe que eles entendem o que vai acontecer, mas nada mais coerente do que evitar que o vejam para não criar uma histeria.

Do mesmo modo, os doentes que veem o veterinário lutar com os walkers que ameaçam a todos no pavilhão de isolamento também fazem o possível para ajudar, mesmo desprovidos de alento. É a união de todos em prol de um interesse comum: salvar vidas.

Rick, por seu turno, assume sozinho a função de manter a cerca estável quando pede a Maggie que vá à ala de isolamento ajudar Hershell. Obviamente que ele sabe que não pode fazê-lo sem a ajuda de mais alguém, e decide então finalmente dar a chance a Carl de mais uma vez provar seu valor. O garoto faz valer o que aprendeu enquanto cresce em meio a um mundo pós-apocalíptico. E vemos Rick lançar olhares de surpresa e de orgulho para o filho quando enfim assume que Carl amadureceu e merece o lugar que tanto almeja no grupo como participante ativo. Tivemos aí, um dos melhores momentos entre os dois na série numa dinâmica que, espera-se, possa se repetir mais vezes.

Em Internment, portanto, vimos com bastante evidência o que motiva os sobreviventes, e quais os valores que devem prevalecer para a união do grupo. Salvar uma vida, por mais difícil e arriscado que o seja, jamais deixará de ser a prioridade máxima. Mais do que tudo, vimos que o trabalho em equipe é que os torna únicos e que os fortalece, contrariamente a decisões egoístas e que comprometem vidas.

Portanto, a resposta para a decisão tomada por Rick em Indifference está exatamente no que vimos em Internment. Carol, como já dito aqui, perdeu seu espírito colaborativo. Uma decisão extremamente séria, que diz respeito à vida de duas pessoas combalidas, desprovida da decisão do grupo sobre o que fazer com os doentes, e justificada no interesse comum fazem dela uma pessoa instável. De qualquer modo, só saberemos os verdadeiros reflexos no grupo, especificamente quando Daryl for cientificado do ocorrido – por conta de sua proximidade com a personagem -, nos próximos episódios.

Fica agora a expectativa para o que está por vir, seja no que se refere à estabilidade do grupo, bem como quando ao retorno do Governador.

Anúncios

Deixe um Comentário

Anúncios
Anúncios