Review do episódio #8.09 de Dexter

Episode 809

Depois dos acontecimentos de «Are we there yet?», Dexter (Michael C. Hall) finalmente descobre quem é o assassino «cirurgião cerebral» e escolhe o caminho que deseja seguir.

«Make your own kind of music» começa com Dexter e Hannah (Yvonne Strahovski) num quarto de hotel. Ele pede que ela não saia, mas Hannah diz que precisa visitar Arlene (Nicole LaLiberte) para pegar o dinheiro que vem guardando ao longo dos anos.

Mais tarde, decidido a encontrar o assassino de Zach (Sam Underwood), o «cirurgião cerebral», para finalmente considerar uma vida ao lado de Hannah, Dexter e Evelyn (Charlotte Rampling) vão ao estúdio fotográfico do rapaz, onde descobrem um resíduo de sangue com uma mecha de cabelo escondida embaixo da mesa. Eles então deduzem que Zach tinha controle da situação a ponto de deixar a evidência para Dexter encontrá-la.

Jacob (Sean Patrick Flanery) contata Cooper (Kenny Johnson), um agente do FBI, que fica encarregado de localizar Hannah, dando informações sobre sua nova identidade.

Enquanto isso, Deb (Jennifer Carpenter) enfrenta mais problemas com Jacob por conta da omissão de informações acerca de Hannah, e começa a realmente considerar a ideia de voltar para a polícia, e é cercada duas vezes por Batista (David Zayas), que inclusive lhe devolve o distintivo, mas fica no aguardo de sua resposta final.

Ao descobrir que a amostra de DNA deixada no estúdio de Zach coincide com a de Vogel, Dexter a confronta sobre a existência de parentesco, e ela revela que teve família anos antes. A neuropsicóloga conta que teve dois filhos, Richard e Daniel, e que este matou o primeiro quando crianças. Ao descobrir que o filho mais velho se enquadrava no perfil de psicopata, ela o internou, mas ele morreu três anos depois num incêndio que consumiu a instituição. Ao mencionar que o filho era extremamente inteligente, Dexter considera a hipótese de que ele forjou a própria morte.

Mais tarde, no laboratório, Dexter pega a fotografia de Daniel que Evelyn que deu e insere no programa de envelhecimento, ao que descobre que ele é Oliver Saxon (Darri Ingolfsson), o sujeito que estava «namorando» Cassie (Bethany Joy Lenz). Nisso, Batista entra em sua sala com o agente Cooper, apresentando-o e dizendo que ele está investigando uma denúncia de que Hannah ainda estaria em Miami. Mais do que depressa, Dexter liga para a namorada para avisar, e decidem ir juntos ao encontro de Arlene.

Paralelamente, Deb e Quinn almoçam juntos, e ela, após uma conversa anterior com Dexter na qual descobre que Zach não matou Cassie e que também está morto, desvia a investigação de Quinn, e ao saber que ele está com problemas na relação com Jamie (Aimee Garcia), decide encontrar com a babá de Harrison (Jadon Wells). Deb então descobre de Jamie que o namorado de Cassie pretendia levá-la para Bahamas, e que a garota pensava em terminar a relação. Sem hesitar, ela repassa a informação para Quinn, e os dois vão investigar.

Na casa de Arlene, Hannah e Dexter são surpreendidos pela visita inesperada do agente Cooper. Hannah se esconde e Arlene e Dexter atendem o agente, fingindo que tem um relacionamento, e que ao contrário de suas suspeitas, ele a está sustentando, e não Hannah.

Deb e Quinn vão à casa de Saxon, e o interrogam mais uma vez, ao que ele acaba revelando projetos para as próximas semanas, mas quando questionado por Deb acerca de sua viagem para Bahamas, ele lhe diz que era ideia de Cassie, a qual suspeitava de que ele pretendia terminar a relação, o que, comparando com as informações de Jamie, faz Deb descobrir que ele está mentindo.

Em casa, Deb descobre que Dexter e Hannah a aguardam. Ele lhe pede permissão para deixar a namorada escondida lá por alguns dias até que possa finalmente sair da cidade. Furiosa, Deb hesita, mas concorda, e revela que desviou a investigação de Quinn para o namorado de Cassie. Dexter não explica, mas pede que fiquem longe de Saxon, pois ele é perigoso.

Mais tarde, na casa de Saxon, Dexter aparece para fins de capturá-lo, mas descobre que ele não está mais lá. No lixo, ele encontra resíduos que podem ter suas digitais, e ao confrontá-las no laboratório, confirma suas suspeitas de que ele é Daniel, o filho supostamente morto de Evelyn. As coisas ficam complicadas quando Dexter leva a notícia à neuropsicóloga, e ela tem outros planos para o filho e que não dizem respeito a acabar na mesa plastificada de Dexter. Este então não descarta a hipótese de que o laptop de Evelyn vem sendo rastreado pelo filho, ao que decidem marcar um encontro entre mãe e filho numa cafeteria na marina, para finalmente capturá-lo.

Na manhã do dia do encontro, Dexter aparece na casa de Vogel, que está visivelmente nervosa e preocupada que o filho acabe morto por Dexter. Ele então insere um dos venenos preparados por Hannah em seu chá e após bebê-lo, Evelyn cai inconsciente enquanto ele vai à cafeteria para capturar Saxon. O filho de Evelyn a espera por vários minutos, e quanto ela não aparece, ele vai embora. Dexter sai ao seu encalço, mas descobre que um dos pneus do carro foi furado. Ciente de que Saxon pode tentar se vingar de Vogel por ter enviado Dexter ao seu encontro, ele vai imediatamente à casa da neuropsicóloga. Ela pede a Dexter que se afaste de uma vez por todas, e que o problema dela com Daniel é um caso de família, enquanto Dexter deixa claro que vai cuidar dele como sempre o fez para depois iniciar vida nova ao lado de Hannah. Quando Dexter sai, é revelado que Evelyn não está só. Daniel está na casa, e escutou tudo na intenção de obter provas de que a mãe não estava mancomunada com Dexter no encontro. O episódio então acaba com mãe e filho sentados à mesa para tomar café.

Se havia alguma dúvida de que Evelyn Vogel colocaria as mangas de fora para usar todo seu conhecimento sobre Dexter contra ele mesmo, agora não há mais. Ainda que a neuropsicóloga não seja a autora dos crimes do «cirurgião cerebral» (e ainda não sabemos se ela de fato não sabia da existência de Daniel), agora um grande impasse a coloca contra o filho de Harry (James Remar). Movida por uma suposta alegria de ter o filho de volta ou da solidificação de uma parceria (?), e saberemos em breve qual poderá ser o preço a ser pago por ela por isso, a cientista, aliada do perigoso principal assassino da temporada, vai provavelmente jogar fogo contra fogo contra Dexter, e se ele realmente quiser tirar seu filho fora de circulação, teremos ai três pessoas na vida do analista de manchas de sangue que correm perigo.

A três episódios do grande final, o público é mais uma vez iludido com a mágica de James Manos Jr. e sua equipe de roteiristas. Quando as apostas eram claras de que Dexter sairia de cena deixando um pupilo, agora a vertente muda completamente, e mais uma vez é impossível prever o que será do final, o que é por vezes frustrante, mas ao mesmo tempo fascinante. A ideia de Dexter fugir com Hannah e Harrison para a Argentina parece romântica demais para o universo de um psicopata com moral, para não dizer inconcebível e contestável. Certamente que há aqueles que querem que o personagem seja feliz, e tenha um final feliz… mas isso é realmente possível? Por mais que Evelyn seja uma vilã em potencial para os três últimos capítulos (e saberemos em breve a partir de quando), ela está coberta de razão: não é algo para Dexter. E ficar em Miami também não parece uma escolha muito promissora a julgar pelo fato de que Deb parece realmente querer voltar para a polícia, e a única coisa que a impede é o grande segredo de família.

Não menos importante, e cada vez mais suspeito, Harrison continua a dar indícios de um comportamento deveras duvidoso, quando mais uma vez mente de forma deliberada e natural quando o agente Cooper lhe pergunta quem é a moça loira no desenho que ele acabava de colorir, e a despeito de seu desejo quase obsessivo de ter Hannah como parte da família, ele dá uma resposta evasiva (e vemos sua hesitação inicial).

E ai, alguém tem alguma dúvida de que essa história vai acabar num verdadeiro imbróglio?

Deixe um Comentário